NOTÍCIAS

NOTÍCIA

quinta, 13 de agosto de 2015
Codemig abre nova frente de desenvolvimento com incentivo à gastronomia mineira

A tradicional e celebrada culinária mineira está ganhando agora mais sabor de desenvolvimento. Com dinamismo e visão estratégica, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) lança sua nova frente de ação com o importante fomento à Indústria Criativa no Estado. Já nesta semana, a empresa e a Secretaria de Estado de Turismo estão levando produtores mineiros para a capital cearense, Fortaleza, onde ocorre o Projeto Fartura, realizado pelo Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes. A iniciativa busca promover e desenvolver a gastronomia nacional, ao reunir e integrar produtos, produtores, chefs, indústria, mercados e apreciadores da boa cozinha. O evento começa nesta sexta-feira, 19/6, e vai até domingo, 21/6, no Shopping Iguatemi, em Fortaleza.

Para esse encontro, a Codemig está viabilizando a participação de cinco empreendimentos mineiros: Cachaça Dona Beja (Araxá), Café das Amoras (Nepomuceno), Doces da Christy (Ponte Nova), Doces Joaninha (Araxá) e Unique Cafés (Carmo de Minas).  Segundo a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemig, Fernanda Medeiros Azevedo Machado, o evento também será uma oportunidade para ampliação da rede de contatos, prospecção de novos clientes e geração de negócios com redes de supermercados locais, bares, restaurantes e até mesmo o setor hoteleiro do Estado do Ceará.

Para além dos restaurantes e das mesas dos grandes chefs, a cadeia produtiva da gastronomia envolve também matérias-primas, pequenos produtores, indústrias, redes de distribuição e comércio. Somando-se todos esses setores, tem-se a expressiva participação de 18% no PIB brasileiro. Alinhada com a Setur, a Codemig passa a contribuir, então, para a promoção da gastronomia como vetor de desenvolvimento econômico de Minas Gerais, além de consolidar a identidade do povo mineiro a partir de suas tradições e aspectos histórico-culturais.

Produtos mineiros em Fortaleza

A Cachaça Dona Beja é um produto oriundo de receita e alambique centenários, com diferencial na tradição, no processo de produção e no segredo de envelhecimento. É considerada hoje a cachaça mais envelhecida do Brasil. Desde 1992, são guardados 5 mil litros de cada produção para um envelhecimento prolongado, a fim de gerar um produto de qualidade.

Por sua vez, o Café das Amoras é cultivado no sul de Minas Gerais, nas montanhas da Serra da Mantiqueira. A Fazenda das Amoras, berço produtivo dos grãos, possui Indicação Geográfica (IG), licenciamento ambiental, reserva legal e áreas de preservação permanente. Pelas boas práticas socioambientais, conquistou as certificações Fair Trade, Certifica Minas e BSCA.

A Doces da Christy produz a goiabada cremosa e em tablete para corte, em diferentes tamanhos, além da mangada (doce de manga ubá) e da bananada, também cremosa e vendida em lata. O diferencial é que o produto é 100% natural, feito apenas com a fruta e o açúcar, num processo todo artesanal.

A produção da Doces Joaninha, pioneira no País, também valoriza a produção artesanal dos doces em compotas de frutas, desde 1970. Ainda hoje, utilizam-se, no mesmo processo, os tachos de cobre estanhados, sem conservantes ou corantes. A variedade de doces em compotas é enorme, além do doce de leite, da ambrosia, das cocadas e a famosa ameixinha de queijo minas artesanal com ovos.

Já a Unique Cafés Especiais oferece aos apreciadores de café um tesouro em produção há mais de um século, cultivado nas montanhas de Carmo de Minas, na Serra da Mantiqueira. Características únicas e raras são encontradas e reconhecidas nos cafés produzidos pela Unique, considerada produtora de um dos mais complexos e melhores cafés do mundo.

Minas Gerais e a gastronomia

Desde 2014, a gastronomia adquire status de Coordenadoria, dentro da estrutura da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O segmento é tratado como política pública, abrangendo ações articuladas nas áreas econômica, social, turística e cultural. Com isso, sua gestão ganha maior autonomia, agilidade e intensidade, como vetor de desenvolvimento.

Entre as ações da Coordenadoria, inclui-se a proposta de criação da Casa da Gastronomia. O local servirá muito mais do que ponto de divulgação desse bem imaterial mineiro, que é a culinária. Agregará conhecimentos, eventos, demonstrações, receitas da alta gastronomia com os ingredientes e pratos típicos, de raiz, além de difundir a difusão e a troca de experiências da arte e do saber referentes a aromas e sabores. 

Além disso, Minas Gerais conta com o site www.gastronomiamg.com.br, que abriga informações sobre gastronomia mineira, receitas, notícias e eventos. Nele há um espaço para cadastro dos empreendimentos de gastronomia, bem como apoio à tradução de cardápios. A Setur-MG também é membro da Frente em Defesa da Gastronomia Mineira, criada em maio do ano passado e composta por instituições públicas e privadas, especialistas, empresários e integrantes da sociedade civil, constituindo uma instância para propor, discutir, incentivar e implementar ações em defesa da gastronomia do Estado.

Outra associação que recebe apoio da Setur é a Associação Mineira de Gastronomia (AMiGa), criada no segundo semestre de 2014. Trata-se de uma entidade multidisciplinar, formada por profissionais, amantes e admiradores da culinária mineira, com a finalidade de fomentar o turismo por meio da gastronomia, além de gerar renda e valorizar a agricultura e o produto local.