NOTÍCIAS

NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

quinta, 14 de julho de 2016
Começa nesta quinta-feira festival gastronômico contemplado por edital da Codemi...
Começa nesta quinta-feira festival gastronômico contemplado...
Começa nesta quinta-feira festival gastronômico contemplado por edital da Codemig

Eventos dedicados à valorização e à comercialização da gastronomia mineira são fomentados pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio do Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa

De hoje a sábado (14 a 17/7), acontece o Igarapé Bem Temperado, festival anual de culinária e cultura que chega, em 2016, à sua 12ª edição. Fomentado pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), o festival celebra e preserva a tradição culinária da região, colocando no posto de “chefs” dez cozinheiras igarapeenses com idade acima de 60 anos. A iniciativa de fomento é parte do Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa.

Além das mestras, cozinheiros da nova geração e produtores locais irão oferecer seus pratos, doces, bebidas e quitandas aos mais de 20 mil visitantes que devem passar pelo evento. Receitas apresentadas ao vivo, shows de música e oficinas de culinária também integram programação.

O festival Igarapé Bem Temperado será realizado na Praça Miguel Henriques da Silva (Praça da Matriz), no Centro de Igarapé. A programação completa pode ser conferida em: www.facebook.com/igarapebemtemperado.

Editais de gastronomia

Os editais de gastronomia lançados pela Codemig abrangem propostas de festivais gastronômicos e de projetos para a realização de encontros de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa.

quinta, 14 de julho de 2016
Encontro entre Codemig, Fiemg e empresários discute modernização do distrito ind...
Encontro entre Codemig, Fiemg e empresários discute moderniz...
Encontro entre Codemig, Fiemg e empresários discute modernização do distrito industrial de Betim

Ação faz parte do Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais, lançado pelo Governo do Estado de Minas Gerais

Nesta sexta-feira, dia 15/07, representantes da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) se reunirão com empresários de Betim, para discutir o projeto de revitalização do distrito industrial (DI) Paulo Camilo. O encontro é a primeira etapa, no município, do Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais, lançado em 2015 pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Codemig, em parceria com a Fiemg e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG), com o objetivo de fomentar o desenvolvimento industrial em Minas Gerais, tornando o estado cada vez mais atrativo e dotado de melhores condições de competitividade para a indústria. Até o fim deste ano, a Codemig planeja investir R$ 30 milhões na infraestrutura e no apoio à gestão das empresas instaladas em DIs de várias regiões do Estado.

Betim é um dos 13 distritos industriais selecionados como prioritários para receber as ações do Programa. Neste primeiro encontro na cidade, será apresentada a metodologia do projeto, que prevê a participação dos empresários em todas as etapas, desde o levantamento das demandas e a elaboração do plano de ação até a instalação de uma governança local.

Participarão do evento o presidente da Fiemg, Olavo Machado, e a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemig, Fernanda Machado.

Revitalização e Modernização dos DIs

O Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais prevê o levantamento das necessidades de cada DI para orientar os investimentos. Os empresários responderão a questionários online sobre as necessidades dos negócios, e consultores do Instituto Euvaldo Lodi, ligado à Fiemg, realizarão visitas para diagnosticar a maturidade das empresas. As informações irão direcionar os serviços a serem oferecidos na localidade pelos parceiros, como o Sebrae-MG.

Os outros 12 distritos selecionados para a revitalização nesta primeira etapa são: Belo Horizonte (Distrito do Jatobá), Divinópolis, Governador Valadares, Ipatinga, Ituiutaba, Juiz de Fora, Montes Claros, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Uberaba, Uberlândia e Contagem. A seleção dessas localidades foi feita com base em um estudo socioeconômico dos 44 municípios nos quais os 53 distritos industriais da Codemig estão instalados. Foram adotados critérios de seleção como percentual do PIB industrial em relação ao PIB municipal, área, bioma, disponibilidade de água superficial e subterrânea, acesso logístico e existência de aterro regularizado. Outras informações estão disponíveis no site da Codemig e em www.facebook.com/distritosindustriaismg.

Serviço:
Encontro com empresários de Betim
Data: 15 de julho de 2016
Horário: 12h às 14h
Local: Auditório principal do SESI Betim (Clube Francisco Netto Motta) - Rua Bela Vista, 220, Bairro Chácaras, Betim/MG

sexta, 08 de julho de 2016
Comunicado, 8/7/16
Comunicado, 8/7/16
Comunicado, 8/7/16

Mediante a interrupção temporária nas atividades do Diário Oficial Minas Gerais, a Codemig disponibiliza as matérias enviadas para publicação no jornal de 8/7/16. Clique aqui para ler.

quinta, 07 de julho de 2016
Dois eventos gastronômicos apoiados pela Codemig ocorrem na primeira quinzena de...
Dois eventos gastronômicos apoiados pela Codemig ocorrem na...
Dois eventos gastronômicos apoiados pela Codemig ocorrem na primeira quinzena de julho

Eventos dedicados à valorização e à comercialização da gastronomia mineira são fomentados pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio do Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa

A primeira quinzena de julho abrigará dois eventos fomentados pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig): a Experimente, Feira de Cervejas Artesanais, de realização mensal, e o Igarapé Bem Temperado, festival gastronômico anual. A iniciativa de fomento é parte do Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa.

Mesmo em meses de temperaturas baixas como junho e julho, os criadores da Experimente afirmam que a cerveja é popular. Isso poderá ser verificado na edição de julho da feira, que trará estilos de cerveja apropriados para serem consumidos em climas frios. A grande atração deste mês ficará a cargo das cervejas escuras, encorpadas e de graduação alcoólica mais alta. Entre os convidados estarão o chef Leandro, da Taberna do Vale Cervejaria, e a Aeon Cervejaria, além do produtor do mês, Café das Amoras.

As atrações musicais da edição são as bandas Beezoro, Muñoz Duo e o Dj Motoca. A feira acontece no dia 9 de julho, sábado, das 11h às 18h, na Praça dos 4 Elementos, no Jardim Canadá – Nova Lima. A programação completa pode ser acessada em: http://bit.ly/experimente-julho.

Já o Igarapé Bem Temperado é um tradicional evento, tendo como chefs da culinária as senhoras da região com idade acima de 60 anos. No festival, que será promovido entre os dias 14 e 17 de julho, o público encontra doces, quitandas, quitutes, licores e outras iguarias. São cerca de 20 mil porções produzidas e vendidas. O horário de funcionamento varia das 18h às 23h30 (nos dias 14 e 15 de julho), das 10h às 23h30 (no dia 16 de julho) e das 9h às 18h30 (no dia 17 de julho), sempre na Praça Miguel Henriques da Silva, no Centro de Igarapé. A programação completa pode ser conferida em: www.facebook.com/igarapebemtemperado/?fref=ts.

A 12ª edição do festival continua trazendo a tradição da cozinha mineira e da culinária caipira de beira de fogão, além de colaborar para o aumento da renda das famílias produtoras.

Editais de gastronomia

Os editais de gastronomia lançados pela Codemig abrangem propostas de festivais gastronômicos e de projetos para a realização de encontros de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa.

quarta, 06 de julho de 2016
Governo de Minas Gerais e Codemig anunciam cidades contempladas pelo Cineminas
Governo de Minas Gerais e Codemig anunciam cidades contempla...
Governo de Minas Gerais e Codemig anunciam cidades contempladas pelo Cineminas

Programa da Codemig vai investir em salas de cinema no interior e fomentar a indústria cinematográfica mineira

Dezoito cidades mineiras irão receber investimentos do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig), para criar ou revitalizar salas de cinema, como parte do projeto Cineminas – Programa Codemig de Apoio ao Cinema. Os municípios selecionados são: Araguari, Caratinga, Coronel Fabriciano, Curvelo, Ibirité, Itajubá, Itaúna, João Monlevade, Nova Lima, Patrocínio, Ponte Nova, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, Teófilo Otoni, Timóteo, Unaí, Vespasiano. A seleção foi feita a partir de um estudo de viabilidade, encomendado pela Codemig à empresa de consultoria Ernst & Young.

Durante quatro meses, foram analisadas as condições, as demandas e o perfil do público alvo em 76 cidades mineiras com mais de 28 mil habitantes, que não possuem salas de exibição. O estudo, contratado por licitação, identificou a viabilidade econômico-financeira dos projetos em cada cidade, para garantir a sustentabilidade da iniciativa.

Os consultores visitaram os municípios e mapearam os imóveis que poderão abrigar os cinemas. Os complexos contarão com espaços de bilheteria, bomboniere e salas de exibição com capacidade para público de 150 a 200 pessoas.

O objetivo do Cineminas é fomentar a indústria cinematográfica mineira, desenvolvendo políticas, parcerias e ações de incentivo à produção, à exibição e à comercialização de conteúdos. Além disso, a iniciativa vai ampliar o acesso da população à cultura e gerar impactos econômicos e sociais em todo o Estado pela criação de demanda para entidades privadas e públicas de todo setor audiovisual. O programa leva em conta a diversidade estadual e atende à meta da Codemig de interiorização das ações de desenvolvimento.

Ponte Nova

Em Ponte Nova, na Zona da Mata mineira, a sala de exibição da cidade será construída no prédio do tradicional Hotel Glória. O investimento prevê, além da instalação do cinema no local, a restauração do prédio de 150 anos. O contrato de cessão do imóvel já foi assinado entre a Codemig e a Prefeitura da cidade.

Setor audiovisual e Indústria Criativa

A indústria cinematográfica representa uma área de expressivo potencial dentro do setor audiovisual, que tem se destacado como um dos mais dinâmicos da economia brasileira. Ele é responsável por 0,57% do PIB nacional, com um desempenho equivalente ao dos setores do vestuário e de fármacos.

O audiovisual é uma das seis áreas prioritárias do Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa. A iniciativa inédita e estratégica, lançada em 2015, busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários e vem recebendo investimentos para apoio a novos negócios, numa iniciativa inédita no Estado.

Lançamento do Prodam

Ciente que o setor audiovisual se apresenta hoje como potencializador do desenvolvimento cultural, econômico e social, o Governo de Minas Gerais lançou em maio de 2016 o Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Mineiro (Prodam). Plataforma interativa que objetiva incentivar e fomentar o segmento, o Prodam destina-se a viabilizar políticas públicas por meio de parcerias entre órgãos e entidades da administração pública direta e indireta do Estado de Minas Gerais, municípios e União, além de instituições privadas.

A rede de cooperação atuará como um elo de forças em prol do impulso à formação, produção, distribuição, exibição e preservação do audiovisual mineiro, colocando em uma mesma direção ações diretas e dinâmicas com todos os atores atuantes.

terça, 05 de julho de 2016
Projeto para criação da primeira planta piloto do Brasil para produção de grafen...
Projeto para criação da primeira planta piloto do Brasil par...
Projeto para criação da primeira planta piloto do Brasil para produção de grafeno é lançado na Codemig

Novo empreendimento do Governo de Minas Gerais conta com parceria do CDTN, da UFMG e da Fundep, contribuindo para a inovação e o desenvolvimento do estado
 
A primeira planta piloto do Brasil para a produção de grafeno em escala industrial terá sua sede em Minas Gerais. O projeto inovador do Governo do Estado de Minas Gerais, denominado “MGgrafeno – Produção de grafeno a partir da grafite natural e aplicações”, foi lançado nesta terça-feira, 5/7, em evento realizado na Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), com cerca de 100 participantes. A ação, encomendada e financiada pela Codemig, será desenvolvida em parceria com o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear/Comissão Nacional de Energia Nuclear (CDTN/CNEN), por meio do Laboratório de Química de Nanoestruturas de Carbono (LQN), e com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por intermédio do Departamento de Física (DF-UFMG). Também integra a parceria a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), responsável pela gestão do projeto. A iniciativa pioneira prevê investimentos de R$ 21,3 milhões em três anos, para desenvolver a tecnologia e implantar a produção em escala piloto.
 
Durante o evento, o presidente da Codemig, Marco Antonio Castello Branco, ressaltou a importância e o pioneirismo do projeto. Salientou ainda que a ação integra a política governamental e as diretrizes estratégicas da atual gestão, em prol do desenvolvimento, diversificando a produção industrial do estado, para além de materiais básicos e semi-industrializados. De acordo com ele, entre os objetivos está o de alcançar o mesmo impacto econômico e social obtido com a exploração do nióbio.
 
O diretor de Fomento à Indústria de Alta Tecnologia da Codemig, Ricardo Wagner Toledo, destacou a Empresa como indutora da inovação no estado. Ele também apresentou ações estratégicas de desenvolvimento da Codemig, como descentralizar ações, estabelecer parcerias e facilitar acesso ao crédito, além de expandir e adequar portfólio de investimentos.
 
O diretor de Mineração, Energia e Infraestrutura da Codemig, Marcelo Nassif, comentou a inovação e a relevância da ação para o desenvolvimento de uma nova cadeia produtiva em Minas Gerais. O empreendimento vinha sendo discutido e gestado há cerca de um ano e teve início oficial com a assinatura do acordo de parceria entre o CDTN, a UFMG e a Codemig, no último dia 6/6, em Belo Horizonte.
 
O evento contou ainda com as apresentações do coordenador do projeto Flávio Plentz, da pesquisadora Clascídia Furtado e do pesquisador Luiz Gustavo Cançado.  De acordo com Flávio Plentz, o grafeno é um dos materiais estratégicos para transformação e modernização da matriz econômica de Minas Gerais. O objetivo é a venda de soluções, do grafeno aplicado e não do material em sua fase bruta.  A pesquisadora Clascídia Furtado ressaltou a versatilidade do processo escolhido para a implantação da planta piloto que permite adequar o grafeno produzido a diferentes aplicações.  Segundo o professor Luiz Cançado, o projeto tem também como objetivo a criação de um centro multiusuário de caracterização óptica e térmica que será instalado no Departamento de Física da UFMG.
 
O projeto
 
No caso do projeto “MG Grafeno – Produção de grafeno a partir da grafite natural e aplicações”, o grafeno será produzido a partir da grafita natural, que tem em Minas Gerais uma das maiores reservas mundiais de minério de alta qualidade. A produção de grafeno a partir da grafita natural agrega enorme valor a esse mineral: enquanto uma tonelada métrica de grafite é hoje comercializada por aproximadamente US$ 1.000,00 no mercado internacional, uma tonelada métrica de grafeno é comercializada por cerca de 500 vezes esse valor, sendo que, dependendo da aplicação, o preço pode chegar a US$ 100,00 por grama.
 
Valorizando o conhecimento e as competências do CDTN e da UFMG na área de nanotecnologias, em especial daquelas associadas a nanomateriais de carbono, a Codemig firmou um acordo de parceria com essas instituições para desenvolver a tecnologia em escala piloto. A unidade, que inicialmente terá capacidade de produzir 30 quilogramas de grafeno de alta qualidade por ano, poderá ser multiplicada para atingir produções na casa de toneladas/ano. O projeto demonstrará a adequação do material produzido a aplicações chave: baterias de íon lítio; compósitos poliméricos; filmes finos condutores; sensores/dispositivos.
 
A equipe do CDTN, liderada pelas pesquisadoras Adelina Pinheiro Santos e Clascídia Furtado, é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de produção do grafeno, separação e demonstração de aplicações em baterias de íon lítio e compósitos poliméricos.
 
A equipe da UFMG é responsável pela caracterização dos materiais produzidos, para garantia da qualidade do produto, e por demonstrar sua adequação a filmes finos condutores, sensores e dispositivos.
 
A contratação define ações como aquisição de equipamentos e adequações de laboratórios para a montagem e a operação da planta piloto. Após 18 meses do início do projeto, a unidade piloto já deverá estar em funcionamento. Os recursos a serem aportados pela CODEMIG permitirão a contratação de uma equipe de 28 pesquisadores e técnicos, para desenvolver as diversas etapas previstas no projeto, promovendo a capacitação de pessoal na área de nanotecnologia. Conforme orçamento, 45% do valor do projeto será alocado em laboratórios e equipamentos; o restante será aplicado em recursos humanos e ações complementares.
 
O projeto MG Grafeno permitirá ainda a atração de parceiros industriais para o desenvolvimento de aplicações, tendo-se em vista a segurança gerada pela disponibilização do grafeno em quantidades e qualidade adequadas à industrialização de novos produtos e processos. A iniciativa também envolverá o suporte aos desenvolvedores de produtos e processos, além de estimular pesquisas realizadas em universidades e institutos de tecnologia, bem como a formação essencial de recursos humanos especializados. Todas essas ações culminarão na criação de um ambiente propício para a geração de conhecimento técnico-científico em pesquisa e desenvolvimento (P&D), operação, produção, manufatura e serviços.
 
Grafeno e grafite

O grafeno apresenta baixa densidade e altos índices de condutividade elétrica, alta resistência mecânica (maior que o aço), alta condutividade térmica e alta estabilidade química, embora possa ser ligado a grupamentos químicos diversos. Além disso, ele é impermeável até mesmo a átomos de hélio. Sendo um material bidimensional, é ideal para aplicações que necessitam de altas áreas superficiais ativas.
 
Entre as aplicações do grafeno, destacam-se: compósitos com polímeros, permitindo a criação de plásticos condutores mecanicamente resistentes e com barreiras, por exemplo, para umidade e oxigênio; adição a tintas e vernizes, gerando filmes e recobrimentos protetores de alto desempenho; produção de tintas, recobrimentos para eletrônica impressa e flexível, painéis fotovoltaicos e produção de filmes ativos para fabricação de sensores, inclusive biosensores; produção de baterias de íon lítio de nova geração, produção de membranas eficientes para filtragem, dessalinização de água e permeação seletiva de moléculas orgânicas e inorgânicas e adição a materiais estruturais para reforço de propriedades mecânicas.
 
Segundo estudo realizado pela Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT) da UFMG, por encomenda da Codemig, atualmente há, no mundo, cerca de 100 empresas relacionadas ao grafeno, sendo que a maioria atua tanto na produção quanto na exploração de aplicações desse novo e extraordinário nanomaterial. As previsões para o mercado mundial de grafeno indicam uma Taxa de Crescimento Anual Composta (CARG) de 44% até 2020. As recentes movimentações financeiras nos países à frente dos investimentos no grafeno dão uma ideia da crescente importância econômica desse nanomaterial: US$ 2,15 bilhões em 2013, incluindo investimentos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), investimentos produtivos e a criação de novas empresas e aquisições.
 
O grafite é o ponto de partida para a produção de grafeno. Minas Gerais possui uma das maiores reservas mundiais de grafita, mineral a partir do qual se extrai o grafite. De acordo com o Departamento Nacional de Produção Mineral, as reservas mundiais de grafita são de aproximadamente 131,4 milhões de toneladas, dos quais 59,5 milhões estão localizados no Brasil, o que constitui a maior reserva mundial. No País, há ocorrência de grafita natural em quase todos os estados, mas as reservas economicamente exploráveis estão localizadas, principalmente, em Minas Gerais, no Ceará e na Bahia.

terça, 05 de julho de 2016
Empresários de distritos industriais validam plano de ação para revitalização pr...
Empresários de distritos industriais validam plano de ação p...
Empresários de distritos industriais validam plano de ação para revitalização promovida pelo Governo de Minas Gerais

Governador Valadares e Distrito do Jatobá, na capital, definirão prioridades, como parte do Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais, lançado pela Codemig em parceria com a Fiemg e o Sebrae-MG

Nesta semana, empresários de dois distritos industriais (DIs) mineiros reúnem-se com representantes da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), a fim de validar os planos de ação para sua revitalização nos locais onde estão instalados. O encontro é mais uma etapa do Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais, lançado pelo Governo do Estado de Minas Gerais com o objetivo de alavancar o desenvolvimento da indústria em diversas regiões do estado. Responsável pela comercialização de áreas para instalação de empresas nos distritos industriais, a Codemig irá investir, até o fim do ano, cerca de R$ 30 milhões no Programa.

Nesta terça-feira, dia 5/7, o encontro envolve lideranças empresariais de Governador Valadares, na região do Rio Doce. E, na quinta-feira, dia 7/7, a reunião será com representantes de empresas estratégicas do Vale do Jatobá, em Belo Horizonte.

Os planos de ação elaborados para cada distrito foram criados a partir de entrevistas online respondidas pelos empresários e de visitas realizadas em mais de vinte empresas de cada local, realizadas pelos consultores do Instituto Euvaldo Lodi, ligado à Fiemg.

O programa prevê, além de investimentos em infraestrutura, apoio aos processos de gestão, oferecido pelos parceiros, como a Fiemg e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG). O processo ocorre com participação de associações empresariais do município e prevê a instalação de uma governança local.

Foram escolhidos como prioritários, para receberem as ações do programa, 13 distritos industriais do estado. Além de Governador Valadares e Belo Horizonte – Distrito do Jatobá, participam: Betim, Contagem, Divinópolis, Ipatinga, Ituiutaba, Juiz de Fora, Montes Claros, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Uberaba e Uberlândia. A escolha dessas localidades foi feita com base em um estudo socioeconômico dos 44 municípios, onde os 53 distritos industriais da Codemig estão instalados. Entre os critérios de seleção, estavam percentual do PIB industrial em relação ao PIB municipal, área, bioma, disponibilidade de água superficial e subterrânea, acesso logístico e existência de aterro regularizado.

Inédito e estratégico, o Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais foi lançado em maio de 2015 pelo Governo estadual, por meio da Codemig, em parceria com a Fiemg e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG), tornando o Estado cada vez mais atrativo e dotado de melhores condições de competitividade para a indústria.

Serviço:
Encontro em Governador Valadares
Data: 05/07/2016
Horário: 10h
Local: ABC Borracha - Av. Industrial, 1420 – Distrito Industrial

Encontro no Vale do Jatobá, em BH
Data: 07/07/2016
Horário: 9h
Local: Perfilbrás - Rua Serra da Água Quente, 340 – Distrito Industrial

quinta, 30 de junho de 2016
Primeira planta piloto do Brasil para produção de grafeno a partir de grafita na...
Primeira planta piloto do Brasil para produção de grafeno a...
Primeira planta piloto do Brasil para produção de grafeno a partir de grafita natural é uma iniciativa de Minas Gerais

Lançamento do projeto acontece na próxima semana

Acontece no próximo dia 05 de julho o lançamento do projeto “MGgrafeno: Produção de Grafeno a partir de Grafita Natural e Aplicações”. O evento, encomendado e financiado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerias (Codemig), será realizado na sede da empresa, em Belo Horizonte. A data entrará para a história do Estado como um marco para o desenvolvimento de uma nova cadeia produtiva com negócios ancorados no uso do grafeno.

A primeira planta piloto do Brasil para a produção de grafeno em escala industrial é um projeto inovador do Governo do Estado de Minas Gerais. O empreendimento é desenvolvido em parceria com o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear/Comissão Nacional de Energia Nuclear (CDTN/CNEN), por meio do Laboratório de Química de Nanoestruturas de Carbono (LQN), e com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por intermédio do Departamento de Física (DF-UFMG). O projeto teve início oficial com a assinatura do acordo de parceria entre o CDTN, a UFMG e a Codemig, no último dia 6/6, em Belo Horizonte. Também integra a parceria a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), que fará a gestão do projeto. A iniciativa pioneira prevê investimentos de R$ 21,3 milhões em três anos, para desenvolver a tecnologia e implantar a produção em escala piloto.

O reitor Jaime Ramírez, da UFMG, vê a parceria entre a Codemig, o CDTN e a própria Universidade como estratégica para o desenvolvimento de uma tecnologia de ponta que pode representar ganhos significativos para a economia mineira. “Com esse acordo, estamos transformando um conhecimento gerado em laboratório em produto de alto valor agregado. Esperamos que esse modelo que ora viabiliza a produção de grafeno em escala industrial inspire outras iniciativas capazes de unir o potencial criativo da academia, a capacidade empreendedora do setor produtivo e o papel indutor do Estado”, afirmou Ramírez.

Nanomaterial de carbono, revolucionário, o grafeno apresenta várias possíveis aplicações. Além disso, a iniciativa integra a estratégia do Governo de Minas Gerais para diversificar a produção industrial do estado, que vai além de materiais básicos e semi-industrializados.

No caso do projeto “MG Grafeno – Produção de grafeno a partir da grafite natural e aplicações”, o grafeno será produzido a partir da grafita natural, que tem em Minas Gerais uma das maiores reservas mundiais de minério de alta qualidade. A produção de grafeno a partir da grafita natural agrega enorme valor a esse mineral: enquanto uma tonelada métrica de grafite é hoje comercializada por aproximadamente US$ 1.000,00 no mercado internacional, uma tonelada métrica de grafeno é comercializada por cerca de 500 vezes esse valor, sendo que, dependendo da aplicação, o preço pode chegar a US$ 100,00 por grama.

“A CODEMIG e o Estado de Minas Gerais perseguem com o desenvolvimento industrial da produção do grafeno a partir da grafita natural, e com o fomento aos desenvolvedores de suas aplicações, o mesmo impacto econômico e social que foi alcançado com a exploração do Nióbio. O Grafeno insere-se hoje na revolução dos novos materiais que definirão a indústria do século 21 ”, salienta o presidente da Codemig, Marco Antonio Castello Branco.

“Para que todas as potencialidades do grafeno sejam aproveitadas em aplicações e gerem de fato prosperidade social e econômica, o primeiro passo é disponibilizar esse nanomaterial a um custo competitivo e com controle de suas propriedades estruturais, morfológicas, químicas e físicas, estimulando e desenvolvendo uma nova cadeia produtiva em Minas Gerais e no Brasil”, ressalta o professor Flávio Orlando Plentz Filho, do Departamento de Física da UFMG.

Valorizando o conhecimento e as competências do CDTN e da UFMG na área de nanotecnologias, em especial daquelas associadas a nanomateriais de carbono, a Codemig firmou um acordo de parceria com essas instituições para desenvolver a tecnologia em escala piloto. A unidade, que inicialmente terá capacidade de produzir 30 quilogramas de grafeno de alta qualidade por ano, poderá ser multiplicada para atingir produções na casa de toneladas/ano. O projeto demonstrará a adequação do material produzido a aplicações chave: baterias de íon lítio; compósitos poliméricos; filmes finos condutores; sensores/dispositivos.

A equipe do CDTN, liderada pelas pesquisadoras Adelina Pinheiro Santos e Clascídia Furtado, é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de produção do grafeno, separação e demonstração de aplicações em baterias de íon lítio e compósitos poliméricos.

O diretor do CDTN, Waldemar Macedo, realça que o projeto MG Grafeno é um acordo de grande relevância para todos os parceiros envolvidos, permitindo que o CDTN, assim como a UFMG, dê uma nova e efetiva contribuição ao desenvolvimento do Estado de Minas Gerais, por meio da utilização de parte de suas competências cientificas e tecnológicas em áreas correlatas à área nuclear para o desenvolvimento de uma nova cadeia produtiva, baseada em nanotecnologia e envolvendo produtos de alta tecnologia e de alto valor agregado. “Esse projeto está apoiado no sólido conhecimento hoje existente nos grupos de pesquisa envolvidos no mesmo, fruto de quase duas décadas de dedicação à pesquisa básica”, acentua.

A equipe da UFMG, cujos pesquisadores principais são os professores Luiz Gustavo Cançado, Daniel Cunha Elias e Flávio Orlando Plentz Filho, é responsável pela caracterização dos materiais produzidos, para garantia da qualidade do produto, e por demonstrar sua adequação a filmes finos condutores, sensores e dispositivos.

O projeto

A contratação define ações como aquisição de equipamentos e adequações de laboratórios para a montagem e a operação da planta piloto. Após 18 meses do início do projeto, a unidade piloto já deverá estar em funcionamento. Os recursos a serem aportados pela CODEMIG permitirão a contratação de uma equipe de 28 pesquisadores e técnicos, para desenvolver as diversas etapas previstas no projeto, promovendo a capacitação de pessoal na área de nanotecnologia. Conforme orçamento, 45% do valor do projeto será alocado em laboratórios e equipamentos; o restante será aplicado em recursos humanos e ações complementares.

O projeto MG Grafeno permitirá ainda a atração de parceiros industriais para o desenvolvimento de aplicações, tendo-se em vista a segurança gerada pela disponibilização do grafeno em quantidades e qualidade adequadas à industrialização de novos produtos e processos. A iniciativa também envolverá o suporte aos desenvolvedores de produtos e processos, além de estimular pesquisas realizadas em universidades e institutos de tecnologia, bem como a formação essencial de recursos humanos especializados. Todas essas ações culminarão na criação de um ambiente propício para a geração de conhecimento técnico-científico em pesquisa e desenvolvimento (P&D), operação, produção, manufatura e serviços.

Grafeno e grafite

O grafeno apresenta baixa densidade e altos índices de condutividade elétrica, alta resistência mecânica (maior que o aço), alta condutividade térmica e alta estabilidade química, embora possa ser ligado a grupamentos químicos diversos. Além disso, ele é impermeável até mesmo a átomos de hélio. Sendo um material bidimensional, é ideal para aplicações que necessitam de altas áreas superficiais ativas.

Entre as aplicações do grafeno, destacam-se: compósitos com polímeros, permitindo a criação de plásticos condutores mecanicamente resistentes e com barreiras, por exemplo, para umidade e oxigênio; adição a tintas e vernizes, gerando filmes e recobrimentos protetores de alto desempenho; produção de tintas, recobrimentos para eletrônica impressa e flexível, painéis fotovoltaicos e produção de filmes ativos para fabricação de sensores, inclusive biosensores; produção de baterias de íon lítio de nova geração, produção de membranas eficientes para filtragem, dessalinização de água e permeação seletiva de moléculas orgânicas e inorgânicas e adição a materiais estruturais para reforço de propriedades mecânicas.

Segundo estudo realizado pela Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT) da UFMG, por encomenda da Codemig, atualmente há, no mundo, cerca de 100 empresas relacionadas ao grafeno, sendo que a maioria atua tanto na produção quanto na exploração de aplicações desse novo e extraordinário nanomaterial. As previsões para o mercado mundial de grafeno indicam uma Taxa de Crescimento Anual Composta (CARG) de 44% até 2020. As recentes movimentações financeiras nos países à frente dos investimentos no grafeno dão uma ideia da crescente importância econômica desse nanomaterial: US$ 2,15 bilhões em 2013, incluindo investimentos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I), investimentos produtivos e a criação de novas empresas e aquisições.

O grafite é o ponto de partida para a produção de grafeno. Minas Gerais possui uma das maiores reservas mundiais de grafita, mineral a partir do qual se extrai o grafite. De acordo com o Departamento Nacional de Produção Mineral, as reservas mundiais de grafita são de aproximadamente 131,4 milhões de toneladas, dos quais 59,5 milhões estão localizados no Brasil, o que constitui a maior reserva mundial. No País, há ocorrência de grafita natural em quase todos os estados, mas as reservas economicamente exploráveis estão localizadas, principalmente, em Minas Gerais, no Ceará e na Bahia.

quinta, 30 de junho de 2016
Belo Horizonte terá dois eventos do Projeto Aproxima no mês de julho
Belo Horizonte terá dois eventos do Projeto Aproxima no mês...
Belo Horizonte terá dois eventos do Projeto Aproxima no mês de julho

Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Codemig, incentiva eventos dedicados à valorização, à divulgação e à comercialização da gastronomia mineira

A gastronomia mineira vem ganhando um ingrediente a mais: o desenvolvimento.  Com o incentivo do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), eventos dedicados à valorização, à divulgação e à comercialização da gastronomia têm sido fomentados. Entre os projetos contemplados pelo edital lançado pela Codemig em 2015, está o Aproxima, que a cada mês busca trazer os melhores produtores de Minas Gerais para apresentar seus produtos diretamente para o cliente, além de reunir chefs, cafeterias, cervejarias e quitandas do estado. A próximas iniciativas do projeto são a Feirinha Aproxima, realizada neste sábado, 02/7, na Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte e a Feira Gastronômica, que estará no dia 08 de julho no Mercado Central. Os dois eventos são gratuitos e abertos ao público. 

Realizado mensalmente, em diferentes pontos da cidade, o evento recupera a tradição da típica feirinha de rua, dando a quem produz a oportunidade de apresentar suas mercadorias diretamente aos clientes. São 30 expositores que oferecem alimentos in natura e quitandas da culinária mineira, além de barracas de restaurantes, cafeterias e cervejarias da cidade.

O projeto contemplado pela Codemig prevê a realização de oito eventos ao longo de 2016, sendo quatro edições da Feirinha Aproxima e quatro Feiras Gastronômicas (que acontecem no Mercado Central). O público estimado para cada edição é de 3 mil pessoas. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.projetoaproxima.com.br.

Edital de gastronomia

O resultado do edital de fomento à gastronomia foi divulgado pela Codemig em dezembro de 2015. O período de inscrições esteve aberto entre os dias 27 de agosto e 19 de outubro do último ano, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O concurso também incluiu a seleção de projetos para a realização de eventos de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

segunda, 27 de junho de 2016
Codemig investe em cinema e patrimônio
Codemig investe em cinema e patrimônio
Codemig investe em cinema e patrimônio
sexta, 24 de junho de 2016
Codemig leva produtores mineiros a evento gastronômico em SP
Codemig leva produtores mineiros a evento gastronômico em SP
Codemig leva produtores mineiros a evento gastronômico em SP

Festival Fartura terá café, queijo e goiabada de Minas

A gastronomia é uma das prioridades do Programa Minas de Todas as Artes: Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa. Por isso, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais investe em produtos e tradições culinárias do estado com o objetivo de incrementar o setor.

Neste fim de semana, 25 e 26 de junho, sete produtores mineiros serão levados a São Paulo para o Festival Fartura, um dos mais tradicionais eventos gastronômicos do país, com edições em diversas cidades e realizado agora, pela primeira vez, na capital paulista.

Os produtores irão comercializar produtos como: café, cachaça, queijo canastra, goiabada, molhos especiais e até sorvetes feitos com ingredientes típicos.

No festival, com representantes de todos os estados brasileiros, haverá três lugares reservados para a culinária mineira: o Espaço Interativo, o Espaço Degustação e a Cozinha ao Vivo. Oportunidade para integrar produtores, indústria, apreciadores da boa mesa e profissionais renomados convidados para o evento, fortalecendo a cadeia de valor da gastronomia de Minas.

Famoso por reunir atrações gastronômicas e artísticas, o Festival Fartura é importante vitrine do setor e, na edição paulista, irá apresentar dois palcos para shows musicais, 130 atrações culinárias e uma área dedicada para food trucks.

Projeto Fartura Gastronomia

O Festival Fartura faz parte do Projeto Fartura Gastronomia, que leva aos festivais o resultado de expedições para estudo da culinária nacional. Em cinco anos, o projeto percorreu mais de 60 mil quilômetros para mapear as riquezas gastronômicas do país, identificando produtos e receitas, numa pesquisa que vai do campo ao prato. Os resultados também se transformaram em filmes e livros premiados.

O Projeto Fartura fará duas paradas em Minas em 2016: de 26/08 a 04/09 com o 19º Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes, e, dias 24 e 25/09, com o 3º Fartura BH.  

Mais informações pelo site: www.farturagastronomia.com.br

terça, 14 de junho de 2016
CODEMIG, CDTN e UFMG: parceiros para criação da 1ª planta piloto do Brasil para...
CODEMIG, CDTN e UFMG: parceiros para criação da 1ª planta pi...
CODEMIG, CDTN e UFMG: parceiros para criação da 1ª planta piloto do Brasil para produção de grafeno
sexta, 10 de junho de 2016
Feira gastronômica ocorre neste sábado com apoio da Codemig
Feira gastronômica ocorre neste sábado com apoio da Codemig
Feira gastronômica ocorre neste sábado com apoio da Codemig

Governo do Estado de Minas Gerais e Codemig fomentam ações de valorização e comercialização da gastronomia mineira

O desenvolvimento segue no cardápio de incentivos à gastronomia mineira oferecidos pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Em edital lançado pela Codemig em 2015, mais de 10 projetos foram contemplados para divulgação e comercialização da gastronomia. A próxima ação será a Feira Experimente, agendada para este sábado, 11/6, entre 11h e 18h, na Praça dos Quatro Elementos, Jardim Canadá, em Nova Lima. A entrada é gratuita.

A Feira Experimente tem como foco a gastronomia e a cerveja artesanal. Além de mostrar a variedade que a bebida oferece em rótulos, receitas, tipos e estilos, também é possível encontrar diversas opções de comida. A ideia desta nova edição é incentivar e destacar produtos feitos com matéria prima e mão de obra locais, que contribuem para o desenvolvimento dos produtores, da cultura e da economia da região. Ao todo, participarão mais de 60 produtores artesanais e locais, entre cervejarias, restaurantes, quitutes, queijos, cafés, artesanato e outros itens.

Neste encontro de junho, o produtor de destaque é o Schokolade, que fabrica pães de mel alemães. A música ficará por conta das bandas Affonsinho e That's All Folk. No comando da gastronomia, o chef convidado é Marcinho, do restaurante Pé de Cana, e a cervejaria em destaque é a Trem. Entre outros empreendedores em destaque, estão Dilis - Delícias Saudáveis na fabricação de chutneys de diversos sabores, Cafetaria da Fazenda com Carne na Lata Xavantes e cervejas da Koala San Brew e Taberna do Vale, além dos bolos búlgaros da Deliceria.

O evento também terá espaço com brinquedos e atividades para crianças, como cama elástica e piscina de bolinhas.

Edital de gastronomia

O resultado do edital de fomento à gastronomia foi divulgado pela Codemig em fevereiro de 2016. O período de inscrições esteve aberto entre os dias 27 de agosto e 19 de outubro do último ano, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O concurso também incluiu a seleção de projetos para a realização de eventos de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

sexta, 03 de junho de 2016
Feira gastronômica contemplada por edital da Codemig ocorre neste sábado em Belo...
Feira gastronômica contemplada por edital da Codemig ocorre...
Feira gastronômica contemplada por edital da Codemig ocorre neste sábado em Belo Horizonte

Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Codemig, fomenta eventos dedicados à valorização, à divulgação e à comercialização da gastronomia mineira

Com o fomento do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), eventos dedicados à valorização, à divulgação e à comercialização da gastronomia têm sido incentivados. Entre os projetos contemplados pelo edital lançado pela Codemig em 2015, está o Aproxima, que a cada mês busca trazer os melhores produtores de Minas Gerais para apresentar seus produtos diretamente para o cliente, além de reunir chefs, cafeterias, cervejarias e quitandas do estado. A próxima iniciativa do projeto é a Feirinha Aproxima que será realizada neste sábado, 4/6, de 10h às 17h, na Praça Marília de Dirceu, em Belo Horizonte.

O projeto foi idealizado pelo chef Eduardo Maya para difundir e projetar a gastronomia mineira no cenário regional, nacional e internacional. Com a Feirinha Aproxima, a proposta é reunir produtores, consumidores e estabelecimentos em encontros para celebrar a qualidade e a diversidade dos produtos de Minas Gerais. O projeto prima pela itinerância e pela democratização do acesso, aliando a tradição e o novo, o prazer e o negócio, os mineiros e suas raízes.

Todo 1º sábado do mês, de 10h às 17h, dezenas de expositores mineiros apresentam seus produtos e serviços com livre acesso para todos os tipos de público. Entre as iguarias, estão queijos, cafés, doces artesanais, verduras, frutas, legumes, carnes, quitandas, geleias, molhos, temperos, licores, linguiças, carne de lata, rapaduras, cachaças, torresmos, cervejas artesanais, por exemplo, em barracas montadas lado a lado. A produção do evento busca diversificar sua execução em distintos locais de Belo Horizonte.

Com o êxito da ação, foi criada também a Feira Gastronômica do Mercado Central –Aproxima, realizada na terceira sexta-feira de cada mês. Para essa iniciativa, o estacionamento superior do Mercado recebe 20 expositores. Os ingressos são trocados por alimentos não perecíveis, doados a instituições de caridade. A Feira Gastronômica funciona de 19h à 1h.

O projeto contemplado pela Codemig prevê a realização de oito eventos ao longo de 2016, sendo quatro edições da Feirinha Aproxima e quatro Feiras Gastronômicas. O público estimado para cada edição é de 3 mil pessoas. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.projetoaproxima.com.br.

Edital de gastronomia

O resultado do edital de fomento à gastronomia foi divulgado pela Codemig em fevereiro de 2016. O período de inscrições esteve aberto entre os dias 27 de agosto e 19 de outubro do último ano, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O concurso também incluiu a seleção de projetos para a realização de eventos de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

quarta, 01 de junho de 2016
Governo de Minas Gerais lança o Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Minei...
Governo de Minas Gerais lança o Programa de Desenvolvimento...
Governo de Minas Gerais lança o Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Mineiro

Plataforma visa impulsionar formação, produção, distribuição, exibição e preservação do setor, colocando em rede a atuação de entidades públicas e demais interessados

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, lançou na noite dessa terça-feira (31/5) o Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Mineiro (Prodam), que tem como objetivo viabilizar políticas públicas por meio de parcerias entre órgãos e entidades da administração pública direta e indireta de Minas Gerais, municípios e União, além de instituições privadas. O lançamento ocorreu durante a abertura oficial da Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX), maior evento de fomento ao segmento realizado no estado, no Museu de Artes e Ofícios em Belo Horizonte.

A plataforma interativa visa, especialmente, o incentivo e fomento ao setor audiovisual, que se apresenta como potencializador do desenvolvimento cultural, econômico e social. Já em seu lançamento, o Prodam anunciou a destinação de R$ 23,5 milhões ao segmento audiovisual mineiro, distribuídos em editais destinados a roteiros, produção e finalização de longas-metragem para cinema e séries para televisão, além do pré-licenciamento de 37 projetos de obras seriadas e não-seriadas de ficção, animação e documentário.

Fernando Pimentel destacou a capacidade da produção audiovisual mineira para a realização do programa, com o objetivo de fazer de Minas Gerais um polo do setor no país. “O Prodam é o nosso programa de apoio ao audiovisual, e, mesmo com toda a dificuldade financeira e orçamentária do Estado, nós estamos conseguindo aportar o maior volume de recursos que já foi destinado ao audiovisual em toda a história. Nunca houve um volume tão significativo e de forma republicana, através de edital, uma escolha inteiramente técnica de projetos. E o potencial nós temos, conhecemos bem a capacidade que Minas Gerais tem nessa área”, afirmou.

O governador fez referência à história retratada no Museu de Artes e Ofícios, palco do evento, para valorizar a aposta na economia criativa. “Nós estamos aqui olhando para o futuro. O futuro da nossa indústria é a economia criativa. E é nisso que nós estamos apostando fortemente. É uma aposta sem risco, porque, na verdade, é um investimento. O futuro da indústria, o futuro da economia passa pela economia criativa. E nós mineiros vamos ter o orgulho de ser o maior polo de produção audiovisual do Brasil. Então, nesse espaço tão simbólico do nosso passado, da construção que fizemos ao longo desses anos todos, podemos agora olhar para o futuro e enfrentar de peito aberto qualquer crise, qualquer dificuldade e apostar fortemente em Minas Gerais e no Brasil”, concluiu.

Rede

A rede de cooperação tem o objetivo de atuar como um elo de forças em prol do impulso à formação, produção, distribuição, exibição e preservação do audiovisual mineiro, colocando em uma mesma direção ações diretas e dinâmicas com todos os atores do setor.

O secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, ressaltou a importância da iniciativa da nova gestão estadual. “É um momento histórico, muito especial para a pátria do cinema brasileiro, que é Minas Gerais. O Prodam é a grande plataforma de trabalho do Governo de Minas Gerais para fazer do estado um dos principais polos do audiovisual brasileiro. O estado tinha ações desarticuladas, às vezes até em contradição, e nós unimos todas as frentes que atuam sobre o setor para termos unidade e coerência numa ação política estratégica de valorização do audiovisual”, disse.

A presidência da plataforma fica a cargo de Gilvan Rodrigues, diretor de Relações Institucionais da Fundação Clóvis Salgado e ex-diretor do Centro de Referência do Audiovisual de Belo Horizonte, o atual Museu da Imagem e do Som.

Para estimular todos os ângulos de ação do segmento, o Prodam unifica, no campo do audiovisual, além de instituições privadas, as secretarias de Estado de Cultura, de Educação e de Turismo. Entre as entidades da administração pública indireta, têm assento garantido na mesa de discussões as fundações de Amparo a Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), Clóvis Salgado e a TV Minas Cultural e Educativa – Rede Minas, as companhias Energética de Minas Gerais (Cemig) e de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), a Rádio Inconfidência, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) e a Imprensa Oficial de Minas Gerais.

Cidade do audiovisual

Durante a solenidade de lançamento do MAX, o governador Fernando Pimentel assinou o protocolo de intenção entre Codemig e Puc Minas para revitalização e modernização da antiga edificação do Sistema Salesiano de Vídeocomunicação (SSV), em Belo Horizonte. “São 4 mil metros quadrados de edificação, tudo isso apropriado a grandes estúdios de audiovisual para fazer ali uma cidade do audiovisual mineiro, um grande polo para que nós estejamos em condições de concorrer no Brasil e até no exterior pela qualidade na produção que teremos aqui, com profissionais, com geração de emprego, de renda. Somos a partir de agora o novo polo cinematográfico do Brasil”, destacou o secretário Angelo Oswaldo.

Editais

A partir da instituição do grupo de trabalho interinstitucional, por meio de decreto do governador Fernando Pimentel, publicado no dia 19 de maio de 2016, o programa chega com novas oportunidades para o público, artistas, pesquisadores, empreendedores e empresários interessados pelo setor audiovisual com o lançamento de diversos editais. São elas:
• Edital de desenvolvimento de roteiros audiovisuais de longa-metragem para cinema e séries para televisão (Codemig). Valor de R$1,5 milhão;
• Edital de produção e finalização de longa-metragem para cinema e séries para televisão (Codemig e Ancine), a ser lançado nas próximas semanas. Valor de R$ 5 milhões;
• Edital de Pré-licenciamento de obras seriadas e não-seriadas de ficção, animação e documentário: a Rede Minas e a Codemig vão selecionar, por meio de concurso, 37 propostas de projetos de produção de obras seriadas e não-seriadas de ficção, animação e documentários que receberão recursos financeiros para o licenciamento dos direitos de primeira janela para comunicação pública no segmento de televisão, por meio dos mecanismos oferecidos pelas linhas de financiamento Prodav 01 e Prodav 02, no valor de até R$ 17 milhões. O edital será publicado nas próximas semanas. A proposta encontra-se em consulta pública no site www.redeminas.tv;
• Lançamento da Câmara da Indústria do Audiovisual (Fiemg).

Fonte: Agência Minas Gerais

quarta, 25 de maio de 2016
Governo de Minas Gerais, Codemig e Sebrae reúnem principais nomes do mercado em...
Governo de Minas Gerais, Codemig e Sebrae reúnem principais...
Governo de Minas Gerais, Codemig e Sebrae reúnem principais nomes do mercado em evento inédito do setor audiovisual

Programação gratuita oferece painéis e palestras com especialistas nacionais e internacionais, mostra de filmes e exposição sobre o audiovisual

Entre os dias 1º e 5 de junho, Belo Horizonte receberá os principais responsáveis pela produção, comercialização e distribuição de conteúdos para TV, cinema, internet, games e novas mídias no Brasil e no exterior. Eles estarão reunidos na Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX), maior salão de negócios audiovisuais já realizado em Minas Gerais. A iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, o Sebrae Minas e o Sistema Fiemg/Sesi, conta com o patrocínio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e da Faesa.

A expectativa é de que mais de 3 mil pessoas passem pela Serraria Souza Pinto e pelo Museu de Artes e Ofícios nos cinco dias de evento, sendo 1.500 somente para as atividades de formação e geração de negócios.  O evento, que visa potencializar toda a cadeia de valor do segmento, contará com uma Rodada de Negócios e terá atividades gratuitas de capacitação e formação de público. Os interessados em participar das atividades devem realizar credenciamento prévio por meio do site www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br.

Ao longo dos cinco dias de programação, 31 empresas âncoras do mercado nacional — selecionadas em curadoria da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão (ABPITV), realizadora do Rio Content Market, evento internacional dedicado à produção de conteúdo audiovisual — participarão da Rodada de Negócios com realizadores de todo o País. Mais de 160 proponentes de oito estados brasileiros e da Espanha inscreveram 310 projetos, totalizando 1.550 requisições de agendamento com os players. Desse total, serão efetivados 540 agendamentos, e os proponentes terão 20 minutos para apresentação de suas propostas.

Entre os players participantes, estão as principais empresas habituadas a coprodução, licenciamento e aquisição de conteúdos de pequenos e médios realizadores: GNT; +Globosat; A&E; Lifetime; H2; History Channel; Prime Box; Travel Box; Music Box; Canal Combate; CINEBRASIL TV; Curta!; E! Entertainment; Elo Company; Opera TV; PlayTV; TNT; Warner; Space; TBS; Woohoo; Looke/Encripta/Net Movies; Rede Record; Vitrine Filmes; Arte 1; EBC/TV Brasil; Synapse; Gloob; Rede Minas.

A divulgação dos agendamentos selecionados para a Rodada de Negócios ocorre no dia 23 de maio, por meio do site do evento.

Conteúdo e capacitação

A programação da MAX será voltada também aos profissionais, estudantes e interessados que desejam se capacitar e atualizar os conhecimentos sobre o audiovisual. Serão realizados 66 painéis e palestras com a presença de executivos, consultores e especialistas do mercado, organizados em quatro salas com programação simultânea e gratuita. Em pauta, temas relevantes do setor, como distribuição, modelo de negócios, políticas públicas, desenvolvimento territorial, mercado internacional, licenciamento, legislação e games.

No dia 1º de junho, diretamente da Índia, os diretores Arjun Pandey, CEO da produtora 24 Frames Films, e Anamika Kalia, apresentam aos participantes cases e oportunidades de coprodução que o país asiático oferece. A produção nacional no mercado estrangeiro também estará na pauta do painel que abre a programação: “Animação brasileira ao redor do mundo”. Produtores e criadores do segmento, como Kiko Mistrorigo, fundador da TV Pinguim, Luciana Eguti, sócia e produtora executiva da Birdo, e Zé Brandão, diretor criativo do Copa Studio, vão analisar o momento da animação nacional no mundo e a presença de conteúdo de produtoras independentes em canais de TVs aberta e paga. A programação segue com outros 64 painéis.

Veja a programação completa aqui.

Mostra “Imagem em construção”

Paralela à programação de negócios, de 1º a 5 de junho a Serraria Souza Pinto receberá a mostra “Imagem em construção”, que apresentará um recorte sobre o que de mais recente está sendo produzido no audiovisual mineiro. Em uma sala de cinema montada especialmente para o evento, 39 títulos entre curtas, longas-metragens e obras em processo serão exibidos gratuitamente. Os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes de cada sessão (restritos a dois ingressos por pessoa).

A curadoria assinada por Adyr Assumpção busca acompanhar a dinâmica atual do setor, decorrente principalmente da implantação do Fundo Setorial do Audiovisual, que, diretamente pela Ancine e parecerias com o Estado e o município de Belo Horizonte, possibilitou, a partir de 2014, o início de uma nova fase da indústria local. Nesse contexto, e considerando os diversos tempos necessários para a realização das obras audiovisuais e as características contemporâneas intermídias, a Mostra pretende apresentar um instantâneo da produção em animação, cinema ficcional e documental, televisão, internet e games.

Confira aqui a programação completa da Mostra “Imagem em Construção”.

Exposição “História do audiovisual"

Com curadoria de Fabíola Moulin e Marconi Drummond, o Museu de Artes e Ofícios terá em cartaz uma exposição inédita que pretende apresentar ao público as dimensões material e conceitual do audiovisual a partir dos anos 60, em Minas e no Brasil. Sob o conceito da videoarte, a mostra passa pelos pioneiros do vídeo no Brasil e por recortes conceituais e tipológicos como os livrídeos, o vídeo-poema, a vídeo performance, vídeo-instalação, o videoclipe, vídeo-projeções na cena pública, entre outros. Estende-se pela efervescência da produção nacional e local do cinema na década de 90 e pela popularização de equipamentos eletrônicos.

A exposição, que vai além da programação da MAX e fica em cartaz no Museu de Artes e Ofícios até o dia 31 de julho, tem como objetivo evidenciar a potência e a pluralidade da linguagem audiovisual e a forma como ela está inserida no meio urbano e cada vez mais ao alcance da mão de todos aqueles que vivem no mundo contemporâneo.

Mercado do Audiovisual no Brasil

Apesar da crise econômica e financeira que o Brasil enfrenta, especialistas e profissionais da área do audiovisual seguem otimistas com números do mercado. Segundo o estudo “Impacto econômico do setor audiovisual brasileiro”, elaborado pelo Sebrae, em 2013 o setor do audiovisual foi responsável por 0,57% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, obtendo participação similar à de outros grandes setores, como têxtil, vestuário, autopeças e produtos farmacêuticos, chegando a movimentar em torno de R$ 15,7 bilhões na economia brasileira.

De acordo com a Ancine, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura, até 2020 o Brasil pode transformar-se no quinto mercado do mundo em produção e consumo de conteúdos audiovisuais para cinema, televisão e novas mídias — atualmente, o País ocupa o décimo lugar no ranking. Além disso, a estimativa é de que se alcancem 4.500 salas digitais, com capacidade para atrair 220 milhões de espectadores. Conforme dados de 2014 da Ancine, existem 2.833 salas de cinemas na atualidade.

SERVIÇO
MAX – MINAS GERAIS AUDIOVISUAL EXPO
1º a 5 de junho de 2016
Local: Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro, Belo Horizonte) e Museu de Artes e Ofícios (Praça Rui Barbosa, 600, Centro, Belo Horizonte)
Acesso gratuito
Os interessados em participar das atividades de capacitação devem realizar credenciamento prévio por meio do site www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br.

quarta, 25 de maio de 2016
Codemig divulga resultado do concurso de fomento a obras audiovisuais mineiras
Codemig divulga resultado do concurso de fomento a obras aud...
Codemig divulga resultado do concurso de fomento a obras audiovisuais mineiras

Ação tem o apoio institucional da Secretaria de Estado de Cultura e a inédita parceria com a Agência Nacional do Cinema, por meio do Fundo Setorial de Audiovisual

O fomento à indústria criativa mineira está em cartaz. A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) homologou nesta quinta-feira, 19/05, o resultado do Concurso 05/2015. A iniciativa selecionou dois projetos de obras audiovisuais de longa-metragem de ficção não-publicitária, oriundos de produção mineira independente, que receberão recursos financeiros para produção e/ou finalização da obra, contribuindo para o desenvolvimento da indústria do audiovisual no Estado de Minas Gerais. Os filmes vencedores foram “Luna”, da Cristiano Torres Azzi - ME, e “Os Sonâmbulos”, da Filmes do Cerrado Produções Cinematográficas - ME. A ação integra o Minas de Todas as Artes — Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa e tem o apoio institucional da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais (SEC), além da inédita parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), por meio do Fundo Setorial de Audiovisual (FSA).

A parceria da Ancine junto a uma empresa com o perfil da Codemig (companhia de desenvolvimento) é marcada pelo ineditismo, já que as parcerias da Agência comumente se dão junto a empresas do setor audiovisual. A iniciativa projeta o segmento como plataforma de desenvolvimento capaz de gerar emprego e renda, dinamizando a economia mineira.

Na seleção, foram avaliados o potencial criativo de cada projeto, considerando a estrutura dramática, a construção dos personagens, a relevância do tema e sua comunicabilidade com o público-alvo, além do cronograma, da estimativa de custos e do planejamento. Também foi levado em conta o histórico de projetos desenvolvidos e produzidos pelas empresas proponentes e seus diretores.

Os investimentos nesta primeira experiência-piloto totalizam R$525 mil, sendo uma parte concedida pela Codemig (R$210 mil) e o restante (R$315 mil) proveniente do FSA. Cada um dos dois projetos selecionados receberá aporte de R$262,5 mil. Puderam se inscrever empresas sediadas em Minas Gerais há, no mínimo, 24 meses, com registro regular e classificadas na Ancine como agentes econômicos brasileiros independentes.

Os projetos selecionados deverão efetivar, na equipe, artistas e técnicos domiciliados em Minas Gerais, em porcentagem mínima equivalente à proporção dos recursos previstos no Edital em relação ao valor total estimado. Pelo menos 30% das filmagens deverão ser realizadas no Estado mineiro. Os filmes contemplados deverão ser inéditos, com duração superior a 70 minutos, finalizados em película de 35 milímetros ou em suportes digitais de alta definição, para exibição inicial no mercado de salas de exibição cinematográfica.

Indústria Criativa e setor audiovisual

A Codemig acredita na Indústria Criativa como peça fundamental para o futuro da economia mineira. A Empresa e o Estado de Minas Gerais estão investindo, até o fim de 2018, mais de R$20 milhões em editais de fomento e fortalecimento de setores como audiovisual, gastronomia, moda e música. Uma das primeiras ações do Programa Minas de Todas as Artes, lançado em 2015, foi o Edital de Seleção de Propostas de Desenvolvimento de Projetos Audiovisuais de Longa-Metragem para Cinema e Séries para Televisão. Firmado entre a Empresa e a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, o Edital recebeu 137 projetos e selecionou 18 propostas, somando investimentos de R$2.475.000,00.

Em 2016, a Codemig lançou outra frente que dinamizará o setor cinematográfico e ampliará o acesso dos mineiros à cultura audiovisual. Por meio do Programa Codemig de Apoio ao Cinema, serão implantadas novas salas de cinema no Estado.

De 1º a 5 de junho, o Governo estadual, a Codemig e o Sebrae promovem a MAX, Minas Gerais Audiovisual Expo, fomentando negócios e oportunidades que gerem empregos e riquezas para o Estado. A MAX é um salão de negócios inédito em seu formato, configurando-se como um trunfo de competitividade para Minas Gerais e uma vitrine dos progressos dos setores do audiovisual e do entretenimento. Aberta aos mercados nacional e internacional, a iniciativa busca ser referência para os profissionais brasileiros do cinema, da televisão e da animação.

O setor audiovisual tem se destacado como um dos mais dinâmicos da economia brasileira ao apresentar significativas taxas de crescimento nos últimos anos. Dentro do setor, a indústria cinematográfica desponta como uma área de expressivo potencial, devido ao grande público que frequenta os cinemas nas grandes cidades brasileiras.

segunda, 23 de maio de 2016
Rodoviária e Estação José Cândido da Silveira esperam aumento de público para o...
Rodoviária e Estação José Cândido da Silveira esperam aument...
Rodoviária e Estação José Cândido da Silveira esperam aumento de público para o feriado de Corpus Christi

Em função do feriado nacional de Corpus Christi, comemorado em 26 de maio, o Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip) e a Estação de Integração José Cândido da Silveira trabalham com a expectativa de aumento de público. Entre os dias 25 e 29, estima-se que sejam realizados cerca de 80 mil embarques nos dois terminais. Nos dias de maior movimentação, quarta-feira e domingo (25/05 e 29/05), a expectativa é que aproximadamente 35 mil pessoas embarquem no Tergip enquanto, na Estação José Cândido, são esperadas 3 mil e 200 pessoas. Nesses dias, serão disponibilizados 1.435 ônibus pelas empresas de transporte. Os destinos mais procurados são Porto Seguro, na Bahia, litorais do Rio de Janeiro e Espírito Santo, além de cidades históricas de Minas Gerais.

Estação de Integração José Cândido da Silveira
O embarque e desembarque das viagens com destino ao Nordeste, Espírito Santo, Belém, Brasília, Campos dos Goytacazes (RJ), São João da Barra (RJ) e Rondônia acontecem na Estação José Cândido da Silveira. Esses bilhetes podem ser adquiridos tanto na estação quanto no Tergip, exceto no caso de Rondônia, cujas passagens serão emitidas apenas no Tergip. Ao comprar seus bilhetes, o passageiro deve ficar atento quanto ao local de embarque. A Estação José Cândido está localizada na Rua Gustavo da Silveira, 1820 (próximo à Avenida José Cândido da Silveira), no bairro Santa Inês.

Linhas que operam na Estação de Integração José Cândido:
- São Geraldo (Natal, Porto Seguro, Guarapari, Nova Almeida, Mossoró, Anchieta, Ilhéus, Marataízes, Prado e Eunápolis):
- Gontijo (Natal, Recife, Salvador, Vitória da Conquista, Porto Seguro, Vitória, Fortaleza e Conceição da Barra);
- Itapemirim (Natal, Recife, Mossoró, Guarapari, Nova Almeida, São João da Barra, Campos dos Goytacazes, Belém e Brasília);
- Nacional (Salvador);
- Penha União (Vitória e Brasília);
- Águia Branca (Conceição da Barra).
- Transportes Coletivos Brasil (Rondônia).

Dicas para os embarques:
• Planeje sua chegada com antecedência;
• Fique atento quanto às mudanças de tráfego, sinalizadas pela BH Trans;
• Não descuide de suas bagagens, mantendo-as sempre próximas e etiquetadas;
• Pais, parentes de primeiro grau ou responsável legal embarcam com crianças de até 12 anos portando a certidão de nascimento ou identidade das mesmas. Quando a situação não se enquadrar nesses casos, é necessária a autorização do Juizado da Infância e Juventude;
• Fique atento às normas para a troca de passagens. As empresas interestaduais realizam a troca com até 3h de antecedência, enquanto as intermunicipais pedem 12h de antecedência;

Fonte: Assessoria de Comunicação Tergip

 

sexta, 20 de maio de 2016
Estação José Cândido recebe nova linha de ônibus interestadual
Estação José Cândido recebe nova linha de ônibus interestadu...
Estação José Cândido recebe nova linha de ônibus interestadual

Desde a última segunda-feira, 16 de maio, a linha Belo Horizonte – Rondônia, operada pela empresa de Transportes Coletivos Brasil (TCB), começou a operar na Estação de Integração José Cândido da Silveira. Ao longo de seu itinerário, a linha também atende os estados de Goiás e Mato Grosso.

A venda de passagens está sendo realizada apenas na bilheteria da TCB localizada no Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip), local no qual os passageiros poderão obter novas informações.
 

Fonte: Assessoria de Comunicação Tergip

terça, 17 de maio de 2016
Codemig publica resultado de concurso público
Codemig publica resultado de concurso público
Codemig publica resultado de concurso público

A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) publicou o resultado de seu concurso público que se destina a preencher 23 vagas para cargos de Analista de Apoio e Analista de Desenvolvimento Econômico. A remuneração das funções tem por base o Plano de Cargos, Salários e Carreiras da Codemig, variando de R$3.724,80 a R$14.203,95, mais benefícios. Das 23 vagas, 21 foram de ampla concorrência e duas se destinaram a candidatos com deficiência.

O certame selecionou profissionais com formação de nível superior em diferentes áreas do conhecimento: advogado societário, analista ambiental, analista de comunicação integrada, analista de gestão de recursos humanos, analista de negócios, analista de participações, analista de projetos de investimentos, analista estratégico de participações, analista estratégico de projetos de investimentos, arquivista, contador corporativo, engenheiro agrimensor, engenheiro de minas, geólogo de petróleo, geólogo prospector/minerais industriais, geólogo prospector/minerais metálicos, geólogo/geologia econômica e turismólogo.

A avaliação dos candidatos se deu por meio de uma prova escrita objetiva e outra discursiva, ambas de caráter eliminatório, além da avaliação de títulos como critério classificatório. A prova foi realizada em Belo Horizonte, em dezembro/2015. A Fundação Getúlio Vargas é a entidade responsável pela realização do concurso.

A convocação dos candidatos aprovados obedece à ordem classificatória por cargo e função, observando-se o preenchimento das vagas existentes. A Gerência de Recursos Humanos da Codemig convocará em breve os profissionais, para apresentação e admissão. Para todas as funções, a carga horária é de 40 horas semanais e também é exigida disponibilidade para viagens.

O resultado do concurso está publicado em http://www.codemig.com.br/concursos/5.