NOTÍCIAS

NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

segunda, 16 de maio de 2016
Fernando Pimentel lança Fundo para fomentar setor eletroeletrônico em Santa Rita...
Fernando Pimentel lança Fundo para fomentar setor eletroelet...
Fernando Pimentel lança Fundo para fomentar setor eletroeletrônico em Santa Rita do Sapucaí

Aporte do Governo de Minas Gerais será de até R$ 50 milhões para que empresas de tecnologia possam realizar investimentos

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, lançou nesta segunda-feira (16/5) em Santa Rita do Sapucaí, no Território Sul, o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) para empresas do polo eletroeletrônico na região. O fundo terá recursos iniciais de R$ 50 milhões.

A iniciativa visa proporcionar às empresas abrangidas pelo Arranjo Produtivo Local (APL) a possibilidade de obtenção de crédito de forma mais vantajosa e econômica. Pimentel ressaltou, durante discurso, o sucesso já alcançado por Santa Rita do Sapucaí dentro do APL, o que fez com que o Estado optasse por reforçar a região por meio de parceria com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), que será a responsável por aportar os recursos para auxiliar as empresas ali instaladas.

“O APL em Santa Rita é um dos mais bem-sucedidos de Minas Gerais, é um dos mais antigos e dos mais consolidados do país. Temos um orgulho muito grande desse APL. Por isso, vamos reforçá-lo agora, com esses R$ 50 milhões”, afirmou o governador.  O Estado já investiu R$ 6,6 milhões no APL de Santa Rita do Sapucaí por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios consiste no compromisso do governo do Estado de realizar aportes de até R$ 50 milhões em 36 meses para o setor eletroeletrônico no polo de Santa Rita do Sapucaí – que engloba também os municípios de Pouso Alegre, Varginha e Itajubá e é integrado por mais de 150 empresas. O FIDC em Santa Rita do Sapucaí terá como gestor o Bancoob Sicoob, vencedor de processo licitatório, que será o responsável por atrair, cadastrar e realizar as operações financeiras junto às empresas.

Também denominados Fundos de Recebíveis, os FIDCs, foram criados a partir de resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) e regulamentados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A ação está inserida na Política Estadual de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais, uma das políticas de desenvolvimento econômico estabelecidas pelo Governo do Estado, que tem como meta o fortalecimento das economias regionais por meio da integração e da complementariedade das cadeias produtivas locais e da geração e promoção de processos permanentes de cooperação, difusão e inovação. Os APLs são aglomerações de empresas de uma mesma cadeia produtiva em uma determinada região - como é o caso do setor eletroeletrônico em Santa Rita do Sapucaí - e que representam importantes eixos de desenvolvimento regional.

Na avaliação do governador, será possível futuramente fazer novos aportes na região. “Vamos conseguir captar mais dinheiro. Fiquei impressionado com os números apresentados pela Codemig. Vamos emprestar com juros de 1,7%. No mercado, os juros estão em praticamente 4%. Então, só a diferença de juros, a partir desses R$ 50 milhões, vão representar uma economia de R$ 16 milhões por ano para as empresas”, explicou. “Me assusta hoje a taxa média de juros que está sendo aplicado no Brasil. Temos de reduzir essa taxa, e uma das formas de fazer isso é o governo estadual, mesmo com as dificuldades financeiras, se desdobrar para ajudar os empresários. Vamos enfrentar a crise econômica que está ocorrendo no Brasil e no mundo com trabalho”, completou.

Segundo o diretor-presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, na gestão de Pimentel a missão da companhia é fomentar o crescimento das empresas mineiras, gerando riquezas para todo o Estado.  Por isso, a Companhia está lançando o FIDC. “Os recursos aportados no FIDC serão empregados na aquisição de recebíveis emitidos por empresas ligadas ao APL eletroeletrônico. Ao comprar esses tipos de crédito e, portanto, adiantar recursos de capital de giro dessas empresas, o fundo cobrará uma taxa de juros muito inferior ao que é normalmente estipulado pelos bancos comerciais para descontar duplicatas. E vai cobrar juros menores porque o Estado, através da Codemig, está assumindo o risco de inadimplência”, afirmou.

“Estamos anunciando hoje o primeiro desembolso de recursos da Codemig desde sua criação em 2003 que vai estimular a economia mineira e, ao mesmo tempo, gerar retorno para a empresa, assegurando a sua sustentabilidade econômica, independentemente das receitas que recebem da exportação de nióbio”, disse.

O diretor do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), Roberto de Souza Pinto, recordou na cerimônia a concessão de incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado às indústrias do setor eletroeletrônico da região e elogiou o novo investimento financeiro. “É um programa de governo que garante a permanência das indústrias em Santa Rita e possibilita a abertura e vinda de novas empresas, não só para o município, mas para toda Minas Gerais”, afirmou.

Vale da eletrônica

Em Santa Rita do Sapucaí, o Arranjo Produtivo Local (APL) representa um marco no desenvolvimento da região e destaca-se como um ambiente empreendedor formado por empresas, incubadoras e por uma base educacional consistente, que vai desde as áreas técnicas de eletroeletrônica e telecomunicações à gestão de empresas. Essa estrutura educacional, além de qualificar a mão de obra, oferece condições para criação e desenvolvimento de empresas de base tecnológica.

Minas Gerais conta com 38 APLs. O Vale da Eletrônica de Santa Rita do Sapucaí é formado por três instituições de ensino e 153 empresas de setores, que vão da informática à telecomunicação, e geram 14 mil empregos diretos e indiretos. Não por acaso, o lugar é comparado ao Vale do Silício, polo tecnológico na Califórnia, nos Estados Unidos, criado na mesma época, nos anos 1950.

Mais de 13 mil produtos são fabricados na cidade, que deixou parte da tradição do café e do leite para se enveredar no universo dos fios, placas e softwares. Santa Rita criou produtos importantes como o chip do passaporte eletrônico e o transmissor de TV digital nacional.

Parceria

O governador Fernando Pimentel aproveitou a presença de empresários mineiros no evento para ressaltar a aliança existente entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário em Minas Gerais, independentemente das questões partidárias.

“Nós temos conseguido preservar Minas Gerais desse tumulto institucional que o país está vivendo. Conseguimos consolidar uma aliança muito forte com a Assembleia Legislativa e com o Poder Judiciário. Enfim, o mundo político em Minas está muito mais pacificado do que no restante do país. Isso é uma grande conquista: você ter um barco que navega sem balançar demais nas ondas da tempestade”, destacou.

Pimentel citou frase do ex-governador Milton Campos a respeito da política mineira.  “’Em Minas Gerais nunca faltará um palmo de chão limpo, onde os homens de bem possam se encontrar, dialogar e construir juntos o bem comum. Vejo em Santa Rita esse palmo de chão limpo, onde os homens de bem que estão aqui buscam juntos construir um mundo melhor, uma Minas Gerais melhor. Se mantivermos esse rumo estamos bem”, finalizou o governador.

Também participaram da cerimônia o secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, o prefeito de Santa Rita do Sapucaí, Jefferson Gonçalves Mendes, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, Olavo Machado, além de lideranças políticas e empresários da região.

Fonte: Agência Minas Gerais
 
 
sexta, 13 de maio de 2016
Codemig anuncia vencedores do Prêmio Empresa Tendência e fomenta o setor mineiro...
Codemig anuncia vencedores do Prêmio Empresa Tendência e fom...
Codemig anuncia vencedores do Prêmio Empresa Tendência e fomenta o setor mineiro da moda

Para além das passarelas, o desenvolvimento tem chegado às empresas mineiras do segmento da moda. O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), anunciou os vencedores da segunda edição do Prêmio Empresa Tendência. Por meio do edital de seleção pública, três categorias distintas foram contempladas: Empresa Destaque, conquistada pela Cândida Mariá; Empresa Inovadora, alcançada pela Adô Atelier de Criação; e Design Criativo, prêmio obtido pela Manoel Bernardes Joias. A iniciativa, promovida em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), estimula a indústria da confecção, calçados, bolsas e acessórios em geral, além de valorizar a excelência na gestão, o empreendedorismo e a inovação nos processos produtivos do setor, proporcionando aumento da competitividade dos produtores mineiros nos mercados nacional e internacional.

De acordo com a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemig, Fernanda Medeiros Azevedo Machado, a ação impacta positivamente a economia local, na medida em que, com o prêmio, será possível para as empresas vencedoras melhorar o seu processo de produção e comercialização. Com isso, a Codemig contribui para incrementar a qualidade dos produtos desenvolvidos, aumentar a capacidade produtiva e elevar o nível de emprego do setor da moda em Minas Gerais, beneficiando a população mineira.

Segundo o diretor de Produção e Comercial da Cândida Mariá, William Pires, e a diretora de Administração e Finanças da empresa, Cândida Bonfim, o prêmio permitirá a aquisição de um utilitário importante para a organização. Já Manoel Bernardes, diretor executivo da empresa que leva seu nome, ressaltou que a premiação “é uma grande iniciativa da Codemig para a busca de competitividade das empresas mineiras nos mercados nacional e internacional e para a indução à inovação. É uma forma inteligente de obrigar a empresa a repensar os seus processos e de focar no futuro”.

Por sua vez, a sócia e diretora de Mercado da Adô Atelier, Fernanda Dubal, salientou que o Prêmio Empresa Tendência potencializará o crescimento da empresa. “Através dele, conseguiremos adquirir um software para gerenciar e unificar processos internos, desde a manufatura à comercialização na loja e e-commerce”, comemorou. “Possibilitará, assim, uma gestão mais estratégica e focada em resultados. Valorizamos muito iniciativas como essa da Codemig, por incentivar negócios locais, como o nosso, a se desenvolverem economicamente, engrandecendo o design nacional”, completou.

Considerando que o objetivo da premiação é fomentar a indústria da moda no Estado mineiro, a participação no concurso foi voltada para empresas (pessoas jurídicas) comprovadamente pertencentes a esse ramo de atuação na cadeia produtiva da moda, com sede no Estado de Minas Gerais e com potencial para geração de empregos diretos. O período de inscrição esteve aberto entre 14 de outubro e 02 de dezembro do ano passado. O resultado foi publicado em abril de 2016.

Premiação que gera desenvolvimento

Esta segunda edição do Prêmio avaliou as indústrias quanto ao modelo de gestão, à capacidade de inovação e à criatividade como diferenciais competitivos. A categoria Empresa Destaque foi destinada a organizações que se destacam pela gestão de seus negócios e veem nela uma importante ferramenta para seu sucesso. O prêmio Empresa Inovadora foi voltado para aquelas que buscam o aumento de sua produtividade e competitividade por meio de projetos de inovação. Por fim, o título de Design Criativo visou empresas que tivessem na criatividade um importante diferencial competitivo.

Por meio do edital, a Codemig disponibilizou recursos no valor total de R$ 90 mil para a premiação, a serem utilizados para aquisição de maquinário, equipamentos ou softwares relevantes para o processo produtivo das empresas vencedoras. Estas deverão prestar contas da utilização dos recursos e descrever objetivamente como os bens adquiridos contribuíram para aumentar a eficiência na produção ou nos processos da empresa como um todo.

O edital foi lançado em outubro de 2015 durante o 17º Minas Trend, principal evento de moda do Estado e um dos mais importantes do País. Na edição de abril daquele ano, a Codemig havia promovido a primeira edição do Prêmio Empresa Tendência, a fim de estimular a produção dos pequenos empreendedores da moda no Estado. Na ocasião, as inscrições foram abertas para empresas do interior de Minas Gerais, nas categorias de vestuário, bolsas, calçados e joias/bijuterias, que participaram como expositores do Minas Trend. Os vencedores do Prêmio foram: Roberta Brandão (Juiz de Fora), na categoria Vestuário; e Simone Salles (Lagoa Santa), na categoria Joias e Bijuterias. Elas foram contempladas com estande gratuito na 17ª edição do evento, incluindo montagem básica.

Incentivo à Indústria Criativa
 
De forma pioneira e estratégica, o Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, lançou em 2015 o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa. A ação inédita busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como Gastronomia, Audiovisual, Design, Moda, Música e Novas Mídias.

O Programa será sistemático e dará nova dimensão às ações culturais e de incentivo à economia criativa. A iniciativa se estenderá para além da Região Metropolitana de Belo Horizonte, ao valorizar as distintas regiões de Minas Gerais e promover a interiorização do desenvolvimento.

 

quinta, 12 de maio de 2016
Feira gastronômica apoiada pela Codemig ocorre neste sábado
Feira gastronômica apoiada pela Codemig ocorre neste sábado
Feira gastronômica apoiada pela Codemig ocorre neste sábado

Governo do Estado de Minas Gerais e Codemig fomentam ações de valorização e comercialização da gastronomia mineira

O desenvolvimento está posto à mesa, com os incentivos à culinária mineira oferecidos pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Em edital lançado pela Codemig em 2015, mais de 10 projetos foram contemplados para divulgação e comercialização da gastronomia. A próxima ação será a Feira Experimente, agendada para este sábado, 14/5, de 11h às 18h, na Praça dos Quatro Elementos – Jardim Canadá, em Nova Lima.

A Feira Experimente tem como foco a cerveja artesanal e busca mostrar a variedade que a bebida oferece em rótulos, receitas, tipos e estilos. Também é possível encontrar opções de comida feitas por chefs da cidade. Os frequentadores podem consumir as cervejas de forma harmonizada com pratos servidos no local, que vão desde sanduíches artesanais a delícias típicas de Minas Gerais, como feijão tropeiro.

Nesta edição, a Feira Experimente traz como cervejaria convidada a mineira La Grand’. O produtor do mês é a marca de molhos inovadores Chef'n Boss. O chef convidado é Fouad Khalil, um refugiado que Síria que levará para o evento receitas tipicamente árabes, como Kibe recheado de carne e sanduíche de pão sírio.

Edital de gastronomia

O resultado do edital de fomento à gastronomia foi divulgado pela Codemig em fevereiro de 2016. O período de inscrições esteve aberto entre os dias 27 de agosto e 19 de outubro do último ano, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O concurso também incluiu a seleção de projetos para a realização de eventos de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

terça, 10 de maio de 2016
Rodoviária de Belo Horizonte recebe ação mundial contra o tráfico humano
Rodoviária de Belo Horizonte recebe ação mundial contra o tr...
Rodoviária de Belo Horizonte recebe ação mundial contra o tráfico humano
quinta, 05 de maio de 2016
Governo de Minas Gerais e Codemig promovem evento inédito de fomento ao setor au...
Governo de Minas Gerais e Codemig promovem evento inédito de...
Governo de Minas Gerais e Codemig promovem evento inédito de fomento ao setor audiovisual no Estado

Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX) será realizado de 1º a 5 de junho, na Serraria Souza Pinto e no Museu de Artes e Ofícios

O audiovisual está no foco da indústria criativa mineira em 2016. Entre os dias 1º e 5 de junho, a Serraria Souza Pinto e o Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, receberão um evento inédito de fomento ao setor, a Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX). A iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, o Sebrae Minas e o Sistema Fiemg/Sesi, tem por objetivo incentivar a geração de negócios audiovisuais, estimulando toda a cadeia de valor do segmento.  A Minas Gerais Audiovisual Expo conta com o patrocínio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e da Cemig.

A exemplo de iniciativas constantes de estímulo ao audiovisual no País, como o programa Brasil de Todas as Telas, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), em parceria com o Ministério da Cultura, a MAX abordará temáticas essenciais com o intuito de articular novos modelos de negócios para o setor. Serão cinco dias de debates, exibição de filmes, exposição de artes visuais e mais de 500 encontros na Rodada de Negócios organizada pelo Sebrae, que tem abrangência nacional e é aberta a realizadores de todos os estados. Em pauta, destacam-se a criação digital e os novos canais de comunicação, inovações tecnológicas, locações, comercialização e difusão de conteúdos, entre outros temas relevantes do segmento.

A realização da MAX vai ao encontro das políticas públicas desenvolvidas pela Codemig e pela Secretaria de Estado de Cultura para o fomento ao setor audiovisual em Minas Gerais, com um foco estratégico para a economia criativa, um dos pilares de atuação do Sebrae. “Esse esforço conjunto visa evidenciar as principais tendências do mercado atual e apresentar a força dessa indústria, que impacta diretamente em segmentos variados da sociedade, como o turismo, a publicidade ou a tecnologia da informação”, afirma Marco Antônio Castello Branco, presidente da Codemig.

“O evento reforça o papel de destaque que Minas Gerais vem alcançando no fomento à economia criativa nacional. O Sebrae Minas participa dessa agenda comum de desenvolvimento e fortalecimento do audiovisual no estado, com projetos para elevar o nível de gestão das micro e pequenas empresas e promover um ambiente favorável à expansão de negócios do setor”, afirma o diretor Técnico do Sebrae Minas, Marden Magalhães.

Além da oportunidade de ampliação de mercado para criadores, produtores e realizadores mineiros, a MAX pretende ser também uma vitrine para o próprio estado de Minas Gerais, apresentando-o como território estruturado e aberto para receber produções de outros estados e países. O evento tem como objetivo sistematizar a articulação de parcerias entre a administração pública e produtores, para facilitar as produções audiovisuais.

“Temos grandes produtores e realizadores e uma riqueza cultural enorme, em Minas. Somos 10% do País, territorialmente e economicamente, um pouco de cada parte do Brasil. Sabemos que o audiovisual é parte importante da indústria criativa e fundamental para a disseminação da cultura de um povo; por isso, o Sesi, integrado ao Sistema Fiemg, acredita na importância da consolidação de uma indústria audiovisual em Minas”, comenta Thiago Maia, gerente de cultura do Sesi.

Rodada de negócios

Coordenada pelo Sebrae Minas e pela Codemig, a Rodada de Negócios da MAX vai gerar oportunidades de comercialização, coprodução e distribuição de projetos. De um lado, estarão criadores, produtores e realizadores; de outro, os principais responsáveis pela distribuição e difusão do conteúdo audiovisual no Brasil. A proposta da MAX é colocar frente a frente criadores e produtores mineiros de conteúdos audiovisuais e os compradores, executivos e tomadores de decisão dos grandes players do audiovisual no País.

Todos os realizadores inscritos previamente por meio de edital proposto pela Codemig terão 20 minutos para apresentar sua proposta individualmente para cada empresa convidada. A partir desses encontros, espera-se a geração de oportunidades de comercialização, coprodução e distribuição de projetos. Ao todo, serão 540 agendamentos, com participação de cerca de 30 empresas âncora do mercado nacional.

A curadoria da rodada de negócios está a cargo da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão (ABPITV).  A entidade realiza anualmente a Rio Content Market, evento internacional dedicado à produção de conteúdo audiovisual, realizado desde 2011 no Rio de Janeiro, com participação de importantes nomes do mercado nacional e internacional.

Os interessados em participar da Rodada de negócios devem se inscrever previamente até o dia 12 de maio, por meio do site www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br ou na Casa da Economia Criativa do Sebrae (Rua Santa Rita Durão, 1275 – Funcionários).

Painéis e palestras

A MAX oferecerá aos participantes, ao longo dos cinco dias, uma programação com painéis e palestras voltadas para a capacitação técnica e profissional. Com presença de consultores e profissionais de áreas diversas do audiovisual, os encontros vão abordar temas relevantes, como distribuição, modelo de negócios, políticas públicas, desenvolvimento territorial, mercado internacional, licenciamento, legislação e games.

Mostra e exposição sobre o cinema mineiro

Paralela à rodada de negócios, a Serraria Souza Pinto receberá uma mostra com o que de mais novo está sendo produzido no setor audiovisual mineiro. Em uma sala de cinema montada especialmente para o evento, serão exibidos gratuitamente curtas, longas-metragens e até obras em primeiro corte (sem o formato definitivo). A curadoria, assinada por Adyr Assumpção, prevê a programação dividida em cinco formatos: animação, publicidade, televisão, cinema e games. Já no Museu de Artes e Ofícios, será montada uma exposição inédita que contará a história do cinema em Minas Gerais, com curadoria de Fabíola Moulin e Marconi Drummond.

Mercado do Audiovisual no Brasil

Especialistas e profissionais da área do audiovisual seguem otimistas com números do mercado. Segundo o estudo “Impacto econômico do setor audiovisual brasileiro”, elaborado pelo Sebrae, em 2013 o setor do audiovisual foi responsável por 0,57% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, obtendo participação similar à de outros grandes setores, como têxtil, vestuário, autopeças e produtos farmacêuticos, chegando a movimentar em torno de R$ 15,7 bilhões na economia brasileira.

De acordo com a Ancine, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura, até 2020 o Brasil pode transformar-se no quinto mercado do mundo em produção e consumo de conteúdos audiovisuais para cinema, televisão e novas mídias — atualmente, o País ocupa o décimo lugar no ranking. Além disso, a estimativa é de que se alcancem 4.500 salas digitais, com capacidade para atrair 220 milhões de espectadores. Conforme dados de 2014 da Ancine, existem 2.833 salas de cinemas na atualidade.

Serviço
MAX – Minas Gerais Audiovisual Expo
1º a 5 de junho de 2016
Local: Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro, Belo Horizonte) e Museu de Artes e Ofícios (Praça Rui Barbosa, 600, Centro, Belo Horizonte)
Outras informações: www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br

quarta, 04 de maio de 2016
Rodoviária de Belo Horizonte realiza ação em prol do uso racional de medicamento...
Rodoviária de Belo Horizonte realiza ação em prol do uso rac...
Rodoviária de Belo Horizonte realiza ação em prol do uso racional de medicamentos

Em detrimento do “Dia mundial do uso racional de medicamentos”, o Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais (CRF/MG) realiza, no dia 05 de maio, ação de conscientização da população sobre a automedicação. Na ocasião, estudantes do curso de Farmácia de diversas faculdades de Belo Horizonte atenderão o público na galeria de arte do Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip), oferecendo informações sobre medicamentos e interações medicamentosas, além de esclarecimentos sobre Dengue, Zica e Chikungunya.

A ação será promovida entre 9h e 12h, mesmo horário em que outras cidades do estado, como Divinópolis, Juiz de Fora, Montes Claros e Ipatinga, também receberão o evento. Outras informações: (31) 3271-7168.
 

Fonte: Assessoria de Comunicação Tergip

sexta, 15 de abril de 2016
Novos eventos gastronômicos apoiados pela Codemig ocorrem nesta semana
Novos eventos gastronômicos apoiados pela Codemig ocorrem ne...
Novos eventos gastronômicos apoiados pela Codemig ocorrem nesta semana

Governo do Estado de Minas Gerais e Codemig fomentam iniciativas de valorização, divulgação e comercialização da gastronomia mineira

Valorização da culinária mineira e geração de renda integram o cardápio de incentivos oferecido pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Em edital lançado pela Codemig em 2015, mais de 10 projetos foram contemplados para divulgação e comercialização da gastronomia. A próxima ação será a Feira Gastronômica do Mercado Central – Aproxima, agendada para esta sexta-feira, 15/4, de 19h à 1h, no estacionamento superior do estabelecimento localizado na capital mineira. Além disso, está em curso o Festival Happy Hour, até o próximo domingo, 17/4. O evento envolve diversos estabelecimentos, abrangendo as cidades de São João del-Rei, Tiradentes, Barroso e Dores de Campos.

O Festival Happy Hour tem a proposta de celebrar a alegria e a mineiridade, incentivando chefs a redescobrirem sabores presentes no imaginário do povo mineiro. Por meio de novas experiências, que unem sabor e cultura, o evento busca redescobrir raízes e repensar o uso de ingredientes, bem como a cultura e a gastronomia com vistas ao desenvolvimento social e econômico.

A cada edição anual, o Happy Hour seleciona ingredientes para compor um dos pratos apresentados pelos bares e restaurantes participantes. Neste ano, foi escolhida a carne de porco, acompanhada por cerveja e/ou cachaça. Os estabelecimentos comerciais disputam em três categorias: Prato da Casa, Prato com Ingrediente Mineiro (contendo os ingredientes propostos pelo Festival) e e Happy Hour Mais Quente. A última categoria será definida pelos usuários, que utilizarão um aplicativo para smartphones para escolher seus preferidos.

O evento também apresenta programação cultural nos bares e restaurantes, além da Feira Happy Hour, que encerrará o festival neste domingo, em uma estrutura montada no centro de São João del-Rei, com praça de alimentação, estandes de cervejarias artesanais, shows e atrações culturais. Outras informações, como a lista de estabelecimentos participantes, estão disponíveis no site www.festivalhappyhour.com.br.

Feira Gastronômica do Mercado Central

Realizada na terceira sexta-feira de cada mês, a feira recebe 20 expositores. Os ingressos são trocados por alimentos não perecíveis, doados a instituições de caridade. O projeto contemplado pela Codemig prevê a realização de oito eventos ao longo de 2016, sendo quatro edições da Feira Gastronômica e quatro Feirinhas Aproxima. O público estimado para cada edição é de 3 mil pessoas. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.projetoaproxima.com.br.

Edital de gastronomia

O resultado do edital de fomento à gastronomia foi divulgado pela Codemig em fevereiro de 2016. O período de inscrições esteve aberto entre os dias 27 de agosto e 19 de outubro do último ano, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O concurso também incluiu a seleção de projetos para a realização de eventos de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

Minas de Todas as Artes

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

 

sexta, 08 de abril de 2016
Rodoviária de Belo Horizonte recebe roda de capoeiristas
Rodoviária de Belo Horizonte recebe roda de capoeiristas
Rodoviária de Belo Horizonte recebe roda de capoeiristas

No próximo sábado, dia 9 de abril, o Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro recebe o evento de comemoração dos quatro anos de atividade do Movimento Feminino de Capoeira da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Promovido pelo Centro de Promoção da Igualdade Racial, o evento é uma confraternização entre capoeiristas de várias escolas da região. O intuito é permitir a troca de saberes sobre a arte da capoeira, elevando níveis técnicos, teóricos e culturais dos participantes.

A programação conta com palestras, ministradas por mestres da capoeira, no auditório do terminal. Após as palestras, o grupo encerrará o evento com uma roda de capoeira aberta ao público, realizada entre as 20h e 21h, no hall inferior do Tergip. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3271-7168.

sexta, 01 de abril de 2016
Evento gastronômico contemplado por edital da Codemig ocorre neste sábado
Evento gastronômico contemplado por edital da Codemig ocorre...
Evento gastronômico contemplado por edital da Codemig ocorre neste sábado

Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Codemig, valoriza eventos dedicados à valorização, à divulgação e à comercialização da gastronomia mineira

 

A gastronomia mineira vem ganhando um ingrediente a mais: o desenvolvimento.  Com o incentivo do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), eventos dedicados à valorização, à divulgação e à comercialização da gastronomia têm sido fomentados. Entre os projetos contemplados pelo edital lançado pela Codemig em 2015, está o Aproxima, que a cada mês busca trazer os melhores produtores de Minas Gerais para apresentar seus produtos diretamente para o cliente, além de reunir chefs, cafeterias, cervejarias e quitandas do estado. A próxima iniciativa do projeto é a Feirinha Aproxima que será realizada neste sábado, 2/4, de 10h às 17h, no estacionamento G4 do Diamond Mall, em Belo Horizonte.

 

O projeto foi idealizado pelo chef Eduardo Maya para difundir e projetar a gastronomia mineira no cenário regional, nacional e internacional. Com a Feirinha Aproxima, a proposta é reunir produtores, consumidores e estabelecimentos em encontros para celebrar a qualidade e a diversidade dos produtos de Minas Gerais. O projeto prima pela itinerância e pela democratização do acesso, aliando a tradição e o novo, o prazer e o negócio, os mineiros e suas raízes.

 

Todo 1º sábado do mês, de 10h às 17h, cerca de 40 expositores mineiros apresentam seus produtos e serviços com livre acesso para todos os tipos de público. Entre as iguarias, estão queijos, cafés, doces artesanais, verduras, frutas, legumes, carnes, quitandas, geleias, molhos, temperos, licores, linguiças, carne de lata, rapaduras, cachaças, torresmos, cervejas artesanais, por exemplo, em barracas montadas lado a lado. A produção do evento busca diversificar sua execução em distintos locais de Belo Horizonte.

 

Com o êxito da ação, foi criada também a Feira Gastronômica do Mercado Central – Aproxima, realizada na terceira sexta-feira de cada mês. Para essa iniciativa, o estacionamento superior do Mercado recebe 20 expositores. Os ingressos são trocados por alimentos não perecíveis, doados a instituições de caridade. A Feira Gastronômica funciona de 19h à 1h.

 

O projeto contemplado pela Codemig prevê a realização de oito eventos ao longo de 2016, sendo quatro edições da Feirinha Aproxima e quatro Feiras Gastronômicas. O público estimado para cada edição é de 3 mil pessoas. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.projetoaproxima.com.br.

 

Edital de gastronomia

 

O resultado do edital de fomento à gastronomia foi divulgado pela Codemig em fevereiro de 2016. O período de inscrições esteve aberto entre os dias 27 de agosto e 19 de outubro do último ano, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur). O concurso também incluiu a seleção de projetos para a realização de eventos de Food Truck em cidades da Estrada Real. Ao todo, mais de 10 projetos foram contemplados, beneficiando todos os territórios gastronômicos do Estado: Cerrado, Espinhaço, Rios, Central e Mantiqueira. O investimento da Codemig nessa iniciativa pioneira totaliza R$1,5 milhão.

 

Foram avaliados critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade. A seleção de projetos de fortalecimento e fomento dos festivais gastronômicos tem o objetivo de potencializar a cadeia produtiva gastronômica em Minas Gerais e contribuir para a movimentação do fluxo turístico regional e nacional, além de reforçar o posicionamento do Estado como um destino turístico gastronômico de referência no País.

 

Minas de Todas as Artes

 

O fomento da Codemig à gastronomia integra o Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, lançado em agosto de 2015. A iniciativa inédita e estratégica busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias.

 

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. Estima-se que haja mais de 250 mil empresas no Brasil na área da Indústria Criativa. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

 

quinta, 31 de março de 2016
Codemig promove salão de negócios para fomentar setor da moda no Minas Trend
Codemig promove salão de negócios para fomentar setor da mod...
Codemig promove salão de negócios para fomentar setor da moda no Minas Trend

Maior evento de moda do Estado conta novamente com apoio do Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, que contribui para gerar desenvolvimento nas diversas regiões mineiras

O desenvolvimento ganha destaque nas passarelas do Minas Trend, o principal evento de moda do Estado e um dos mais importantes do País. Com o novo apoio do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), a 18ª edição do encontro será realizada no Expominas Belo Horizonte, entre os dias 4 e 7 de abril, com novidades. Em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), realizadora do Minas Trend, a Codemig fomentará o Salão de Negócios desta próxima edição Primavera Verão. Centenas de compradores e expositores farão parte da iniciativa, que contribuirá para dinamizar o segmento fashion mineiro, tendo em vista que cada comprador pode gerar um volume de até R$ 2 milhões em compras. O alvo da Codemig nessa ação é promover a integração regional do Estado, bem como o acesso e a participação dos 17 Territórios de Desenvolvimento definidos pelo Governo de Minas Gerais. O apoio ao Minas Trend integra as ações do Minas de Todas as Artes — Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa.

De acordo com a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemig, Fernanda Azevedo Medeiros Machado, o Salão de Negócios constitui um importante espaço destinado à comercialização de produtos dos setores de vestuário, joias e bijuterias, calçados e bolsas. O perfil de empresas que transitam nesse espaço é o de compradoras na modalidade atacado. “O objetivo da Codemig é potencializar ainda mais essas vendas e promover a acessibilidade de empresários do interior nessa iniciativa”, ressalta.

“Foi no Salão de Negócios do evento que grandes marcas de representação nacional já se consolidaram”, assinala. A diretora da Codemig pontua que o Minas Trend hoje chega a ser responsável por 75% da produção de uma empresa.

Considerado o principal salão de negócios da indústria da moda no Brasil, o Minas Trend incentiva o desenvolvimento dos setores que compõem a cadeia produtiva, integrando criatividade à produção e inovação pelo conhecimento, além de introduzir design e novas tecnologias em segmentos industriais de expressiva representatividade na economia. Também cria oportunidade para que marcas locais exibam seus produtos num espaço privilegiado de projeção e consolidação.

O evento traz marcas nacionais e internacionais para apresentação e intercâmbio de conhecimentos, tecnologias e tendências, bem como promove o contato entre produtores, consumidores e indústria. Ao fomentar o turismo de negócios e promover a integração de profissionais, o encontro movimenta a economia do Estado, com valores superiores a R$30 milhões por edição, e projeta Minas Gerais nos circuitos nacional e internacional do mercado da moda.

Integrando o calendário brasileiro desse segmento, o Minas Trend está entre as três principais semanas de moda brasileiras, sendo o único com desfiles e salão de negócios no mesmo ambiente. O encontro também mostra coleções de marcas oriundas de outras partes do País. Desde sua criação, o Minas Trend cumpre importante papel ao reunir confecções de destaque dentro do universo da moda mineira, compradores e imprensa especializada de todo o Brasil e do exterior.

Além de antecipar as principais tendências, oferece extenso e completo mix de produtos, com alto valor agregado e atenção ao design, ao uso de matérias-primas especiais e ao trabalho artesanal. A plataforma para as marcas apresentarem suas coleções de pré-lançamento auxilia o lojista e impede a desvalorização das marcas com liquidações prolongadas. Como se trata de um segmento muito dinâmico, os lançamentos de empresas da moda são realizados duas vezes por ano, o que fundamenta a necessidade de realizar duas edições anuais: Primavera Verão e Outono Inverno.

Tantos benefícios alcançam diversas regiões do Estado, estendem-se ao setor industrial e favorecem a sociedade mineira, incentivando a geração de emprego, renda e qualidade de vida. Os objetivos e resultados do Minas Trend estão diretamente ligados ao escopo de atuação da Codemig, empresa pública responsável por fomentar o desenvolvimento econômico estadual. Com a parceira da Codemig, é possível expandir ainda mais o evento e as oportunidades para empresas do interior.

Apoio da Codemig em edições anteriores

No Minas Trend de abril de 2015, a Codemig havia promovido a primeira edição do Prêmio Empresa Tendência, a fim de estimular a produção dos pequenos empreendedores da moda no Estado. As inscrições foram abertas para empresas do interior de Minas Gerais, nas categorias de vestuário, bolsas, calçados e joias/bijuterias, que participaram como expositores do evento. Os vencedores do Prêmio foram: Roberta Brandão (Juiz de Fora), na categoria Vestuário; e Simone Salles (Lagoa Santa), na categoria Joias e Bijuterias. Elas foram contempladas com estande gratuito na edição seguinte do Minas Trend, em outubro de 2015, incluindo montagem básica. As inscrições para a premiação foram abertas para empresas do interior de Minas Gerais, avaliadas durante o evento por jornalistas de moda especialmente convidadas — Gloria Kalil, Lilian Pacce e Consuelo Blocker, filha de Costanza Pascolato.

Durante o 17º Minas Trend, em outubro, a Codemig anunciou um novo edital de fomento: o Prêmio Empresa Tendência. Após sua primeira edição ter sido realizada em abril, a segunda veio com novidades: a premiação passou a ser oferecida por meio do edital de seleção pública, lançado naquele mês. A iniciativa, promovida em parceria com a Fiemg, estimulou a indústria da confecção, calçados, bolsas e acessórios em geral. Além disso, valorizou a excelência na gestão, o empreendedorismo e a inovação nos processos produtivos do setor, proporcionando aumento da competitividade dos produtores mineiros nos mercados nacional e internacional. Uma nova edição do prêmio anual deve ser lançada no segundo semestre deste ano pela Codemig.

Programa de Incentivo à Indústria Criativa

De forma pioneira e estratégica, o Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, lançou em agosto de 2015 o Minas de Todas as Artes — Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa. A ação inédita busca fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de setores como Gastronomia, Audiovisual, Design, Moda, Música e Novas Mídias.

O Programa é sistemático e tem dado nova dimensão às ações culturais e de incentivo à economia criativa. A iniciativa se estende para além da Região Metropolitana de Belo Horizonte, ao valorizar as distintas regiões de Minas Gerais e promover a interiorização do desenvolvimento. Entre as ações já lançadas pelo Minas de Todas as Artes, estão os editais de fomento à gastronomia, ao audiovisual e à moda. Outras informações estão disponíveis no site www.codemig.com.br.

quarta, 30 de março de 2016
Codemig promove evento para apresentação do projeto Laboratório-Fábrica de Ligas...
Codemig promove evento para apresentação do projeto Laborató...
Codemig promove evento para apresentação do projeto Laboratório-Fábrica de Ligas e Ímãs de Terras-Raras

Governo de Minas Gerais e Codemig protagonizam implantação do primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras no Brasil, fomentando a inovação e o desenvolvimento

O Governo do Estado de Minas Gerais e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) protagonizam a implantação do primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras no Brasil. O projeto será apresentado nesta quinta-feira, 31/3, a empresas, possíveis parceiros e fornecedores, agências de fomento, acadêmicos e instituições de ensino e pesquisa, que compõem o público-alvo convidado. O evento será realizado no auditório da Codemig, entre 9h e 13h, com o objetivo de oferecer um amplo panorama do assunto e detalhar o projeto pioneiro do Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, o qual será desenvolvido pela Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi), em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Para a Codemig, a soma de esforços viabilizará e potencializará a plena concretização da relevante iniciativa, que beneficiará o Estado, o País e a sociedade. O empreendimento teve início oficial nos dias 24 e 25 de fevereiro, com reuniões ocorridas na Empresa. A ação inovadora representa um passo importante para a fabricação do ímã permanente de terras-raras no País, elemento indispensável à vida moderna.

Componentes-chave de aplicações intensivas em energia, como aerogeradores e motores elétricos para maquinas industriais, eletrodomésticos, elevadores e carros híbridos e elétricos, os ímãs de terras-raras constituem um dos grandes responsáveis pelo aumento da eficiência energética. “O desenvolvimento da tecnologia e a produção de ímãs de alta potência em Minas Gerais representam um grande avanço na agregação de valor às reservas de terras-raras existentes no estado e um passo decisivo para o fomento de toda cadeia produtiva de motores e geradores elétricos de alta eficiência”, ressaltou o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco.

Com o objetivo de aproveitar o conhecimento que vem produzindo junto com a UFSC e o IPT, a Codemig contratou a Fundação Certi, por R$ 3 milhões, para elaborar o plano de negócio e o projeto executivo do laboratório-fábrica com capacidade anual de 100 toneladas de ímãs, que será erguido ao custo estimado de R$ 80 milhões, ao longo de 2017, em área que a empresa já possui na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além disso, serão também realizados, no âmbito do contrato, os estudos de viabilidade técnica, econômica, comercial e ambiental de uma unidade industrial de grande porte de ligas e ímãs permanentes de terras-raras a ser erguida em Minas Gerais, buscando resoluções para as questões de rentabilidade, de modo a alinhar as escolhas técnicas às demandas e aplicações de maior impacto para o mercado de ímãs de terras-raras no Brasil.

A parceria com a Fundação Certi inclui ações para apoiar a estruturação de um ambiente empresarial capaz de fomentar em Minas Gerais a competência tecnológica e produtiva das ligas e dos ímãs permanentes de terras-raras de diferentes características para as mais diversas aplicações. Isso inclui a atração e o desenvolvimento de fornecedores de equipamentos e insumos nos setores de mineração e metalurgia, bem como o suporte aos desenvolvedores de produtos e, principalmente, o estímulo a pesquisas realizadas em universidades e institutos de tecnologia, além da formação de mão-de-obra especializada.

De acordo com o superintendente de Negócios da Fundação Certi, Laércio Aniceto Silva, o empreendimento também irá dispor de ambientes propícios para geração de conhecimento técnico-científico em pesquisa e desenvolvimento (P&D), operação, produção e manufatura. “A intenção é realizar, ao mesmo tempo, operações de rotina fabril, produzindo ligas e ímãs diretamente para o mercado”, explica o profissional da Fundação Certi, instituição de ciência, tecnologia e inovação.

Segundo informações da Certi, a atual situação do mercado internacional desses ímãs forçou os fabricantes a instalarem suas fábricas em regiões com oferta abundante de matéria-prima, como a China, impondo um monopólio de 97% da produção mundial de óxidos de terras-raras e limitando a exportação por meio de cotas. Como consequência, o mercado nacional passou a ser atendido exclusivamente via importação, o que resulta em inconstância de preços e escassez de oferta em setores estratégicos e de alta relevância tecnológica.

Terras-raras

A cidade mineira de Araxá é reconhecida também pela produção de nióbio. É de lá que vem significativa parcela da receita da Codemig, fruto da parceria com a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), que extrai o minério, processa-o e, a partir dele, produz o nióbio. Do rejeito de sua produção, tornou-se possível, por meio de pesquisas, produzir as terras-raras, atualmente muito utilizadas nas tecnologias de ponta, para fazer funcionar tablets, lasers, turbinas usadas na produção de energia eólica, telefones celulares, mísseis e equipamentos eletroeletrônicos.

A vantagem das terras-raras produzidas em Araxá é que elas são praticamente um subproduto da exploração do nióbio. Isso barateia o custo industrial e pode tornar a Codemig mais competitiva em preços, em relação àqueles que só exploram terras-raras.

Programação do evento de 31/3

9h às 9h15: Boas-vindas (Codemig)
9h15 às 9h40: Impacto das Terras-Raras em tecnologias do futuro (ABDI – Dr. Miguel Nery)
9h40 às 10h05: Projeto CBMM Terras-Raras (CBMM – Dr. Tadeu Carneiro)
10h05 às 10h30: Ações do IPT para o desenvolvimento das Terras-Raras (IPT – Dr. Fernando Landgraf)
10h30 às 10h55: A Codemig como indutora da inovação no Estado de Minas Gerais (Codemig – Dr. Ricardo Toledo)
10h55 às 11h20: Coffee-break
11h20 às 11h45: O Laboratório-Fábrica de Ímãs de Terras-Raras em Minas Gerais (Certi – Dr. Carlos Alberto Schneider)

Painéis temáticos estratégicos
11h45 às 12h: Painel 1 – Fornecimento de Insumos estratégicos (Certi – Dr. Carlos Alberto Schneider)
12h às 12h15: Painel 2 – Pesquisa e Desenvolvimento na cadeia de produção dos ímãs de Terras-Raras (IPT – Dr. João Batista Ferreira Neto)
12h15 às 12h30: Painel 3 – Parceiros e demandantes de serviços (Certi – Carlos Alberto Alves)
12h30 às 12h45: Painel 4 – Fornecedores de máquinas e tecnologias (Certi – Guilherme Rodrigues)
12h45 às 13h: Perguntas e respostas

terça, 29 de março de 2016
Codemig anuncia distritos industriais contemplados em programa de revitalização...
Codemig anuncia distritos industriais contemplados em progra...
Codemig anuncia distritos industriais contemplados em programa de revitalização e modernização

Programa inédito e estratégico do Governo de Minas Gerais contribui para o desenvolvimento socioeconômico de diversas regiões do Estado

A nova força da indústria mineira chega para alavancar o desenvolvimento socioeconômico em diversas regiões mineiras. O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), anuncia os 13 distritos industriais (DIs) selecionados como prioritários no Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais: Belo Horizonte – Distrito do Jatobá, Betim, Divinópolis, Governador Valadares, Ipatinga, Ituiutaba, Juiz de Fora, Montes Claros, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Uberaba e Uberlândia, além de Contagem, que já havia sido escolhido como projeto piloto mediante sua complexidade e por ter sido o primeiro DI do País, implantado em 1941. Foram contempladas localidades de diferentes Territórios de Desenvolvimento, estrategicamente definidos pelo Governo estadual para interiorizar as ações de progresso e dinamizar a economia mineira.

Inédito e estratégico, o plano foi lançado em maio de 2015, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG), com o objetivo de fomentar o desenvolvimento industrial em Minas Gerais, tornando o Estado cada vez mais atrativo e dotado de melhores condições de competitividade para a indústria. O Programa está se tornando referência nacional como política pública de fomento industrial e desenvolvimento econômico — outros estados já demonstraram interesse em conhecer a iniciativa mineira, como Rio de Janeiro, Bahia, Pará e Goiás, além do Distrito Federal.

Em suas primeiras etapas, o Programa realizou o estudo socioeconômico dos 44 municípios onde os 53 Distritos Industriais da Codemig estão inseridos. A iniciativa foi efetivada em parceria com o Instituo Euvaldo Lodi (IEL), ligado à Fiemg. Com base nesse trabalho, foram utilizados critérios de seleção dos 13 DIs prioritários, como percentual do PIB industrial em relação ao PIB municipal, área, bioma, disponibilidade de água superficial e subterrânea, acesso logístico e existência de aterro regularizado, por exemplo, considerando competividade, critérios de vendas, atratividade e plano de atração de empresas.

O Plano de Ação de Revitalização e Modernização do Distrito Coronel Juventino Dias (Cidade Industrial em Contagem) já foi elaborado, mediante inúmeras atividades com participação ativa de empresas instaladas no Distrito e públicos como Prefeitura Municipal de Contagem, Cemig e Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (INDI). O plano considerou sete eixos temáticos: Governança; Infraestrutura e Logística; Mercado e Imagem; Competividade Industrial; Capacitação e Recursos Humanos; Ciência e Tecnologia; Aspectos Econômicos e Financeiros.

Os próximos passos do Programa envolvem, no caso de Contagem, a implantação da governança no local, com a participação de lideranças empresariais, da Prefeitura e do Governo estadual, por exemplo, bem como implementação das atividades e ações prioritárias já iniciadas. Em relação aos outros 12 DIs selecionados, o Programa atuará agora na sensibilização dos empresários instalados em cada Distrito Industrial, estimulando sua participação ativa no processo de elaboração do Plano de Ação de Revitalização e Modernização. Também serão realizadas entrevistas com empresários e o diagnóstico de maturidade das empresas instaladas nessas 12 localidades.

Os investimentos previstos pela Codemig para o Programa em 2016 são de aproximadamente R$30 milhões. A iniciativa seguirá até 2018, durante toda a atual gestão do Governo estadual, que vem valorizando a integração, a parceria e a regionalização do desenvolvimento socioeconômico.

Historicamente, a criação de espaços preparados para receber plantas industriais no Brasil data do início do século XX. O Estado de Minas Gerais foi pioneiro nessa empreitada. Desde o final do século XIX, já se pensava no setor industrial como uma das principais formas de desenvolvimento econômico estadual.

O Programa e suas etapas

Os principais objetivos estratégicos do Programa de Revitalização e Modernização de Distritos Industriais são organizar a infraestrutura de ponta, aumentar a atratividade do distrito em relação ao mercado e promover a visão sistêmica do desenvolvimento e da competitividade industrial, bem como estruturar um ambiente de cooperação. Para isso, o trabalho avaliou as principais potencialidades e os setores produtivos, além das necessidades de infraestrutura.

A primeira etapa do programa consistiu no mapeamento, pelo qual foram obtidos dados cadastrais e informações sobre os 53 DIs e as empresas de cada distrito. Nessa fase, a Codemig adotou um modelo que envolveu a comunidade local e regional. Por meio de parcerias com universidades e outras instituições de ensino da região, foram produzidos relatórios sobre os 53 distritos industriais. Esse convênio permitiu uma interação efetiva do setor acadêmico com os distritos, envolvendo alunos, professores, entidades associativas e outros representantes locais.
 
Na segunda fase, o plano realizou a avaliação socioeconômica dos municípios e das cadeias produtivas atendidas pelos DIs, abrangendo dados diversos, como localização, PIB do município, renda per capita e por setores (agricultura, indústria e serviços), população (urbana e rural), inserção no mercado internacional (exportações, importações e Investimento Direto Estrangeiro), estrutura logística e atividades industriais desenvolvidas no local.
 
A terceira etapa envolve a análise dos 13 distritos selecionados como prioritários. A quarta fase compreenderá a proposição do Plano Diretor de Revitalização dos distritos selecionados. Por fim, o quinto momento consistirá na execução desse planejamento, abarcando itens como qualificação de fornecedores, serviços de apoio à indústria, desenvolvimento das cadeias produtivas, infraestrutura, segurança, meio ambiente e atração de investimentos.

Distritos Industriais no site da Codemig

Na seção “Áreas de atuação/Distritos Industriais” do site da Codemig, estão disponíveis outras informações sobre DIs, histórico, Programa de Revitalização e Modernização, convênios e arquivos para download. Os interessados também podem consultar as áreas disponíveis para comercialização nos Distritos Industriais da Codemig, bem como a tabela de preços vigente e a Norma de Procedimento para comercialização de áreas disponíveis nos Distritos.

Uma novidade é o robusto e moderno Sistema de Gestão Patrimonial (SGP), plataforma eletrônica de acesso público que compila as principais informações sobre áreas e empresas instaladas nos Distritos Industriais da Codemig. O SGP apresenta, de forma georreferenciada, a reconstrução lote a lote, quadra a quadra, dos Distritos sobre imagens aéreas de alta definição. Os internautas podem navegar no sistema disponível no site.

A Codemig

Empresa pública controlada pelo Estado de Minas Gerais, a Companhia integra o sistema liderado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. A Codemig investe em múltiplos segmentos, como mineração, pesquisa de óleo e gás natural, hotelaria, parques e balneários, distritos industriais e centros de feiras e exposições, os Expominas. Essa diversidade de atuação reforça a missão da Empresa e a projeta como referência em desenvolvimento regional.

Conectada com o presente e de olho no futuro, a Codemig vive hoje um novo tempo. Em consonância com as diretrizes do Governo estadual, a Empresa empreende suas ações de maneira arrojada e moderna, pautada em três grandes eixos estratégicos: Indústria de Mineração, Energia e Infraestrutura; Indústria de Alta Tecnologia; e Indústria Criativa. Todas essas frentes evidenciam seu forte compromisso com o desenvolvimento econômico de Minas Gerais e o bem-estar dos mineiros.

quarta, 16 de março de 2016
Codemig investe no Banco Mercantil de Investimentos para alavancar economia mine...
Codemig investe no Banco Mercantil de Investimentos para ala...
Codemig investe no Banco Mercantil de Investimentos para alavancar economia mineira

Iniciativa do Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, beneficiará empresas mineiras e induzirá o desenvolvimento econômico do Estado

Com o objetivo de fomentar o crescimento e a diversificação da economia, o Governo de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), lança a nova frente de ação que beneficiará empresas mineiras e contribuirá para a geração de emprego e renda no estado. Por intermédio de sua subsidiaria integral Codemig Participações S.A. (Codepar), a Codemig investiu no aumento de capital do Banco Mercantil de Investimentos (BMI), controlado pelo Banco Mercantil do Brasil e vocacionado para realizar operações de empresas mineiras de médio porte, geradoras do maior número de empregos no estado. 

A oportunidade de investimento foi apresentada pelo BMI em oferta pública de ações para aumento de capital do banco, visando à capitalização primária da instituição para expansão dos seus negócios com empresas médias atuantes no mercado mineiro.  Na qualidade de investidor profissional, a Codemig foi acessada pelo Banco Votorantim, contratado pelo BMI como coordenador da oferta pública, realizada nos termos da Instrução 476/09 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Como empresa pública dedicada a fomentar o desenvolvimento econômico de Minas Gerais, a Codemig analisou a oferta e o plano de negócios proposto pelo BMI, identificando oportunidades estratégicas, como apoiar o crescimento de médias empresas com sede ou foco principal de atuação no estado. Além disso, notou-se a oportunidade de assessoria em mercado de capitais, financiamento de projetos e operações de fusões e aquisições (M&A) para o Governo de Minas Gerais, empresas integrantes da administração pública indireta e Prefeituras, por exemplo, bem como para conglomerados empresariais mineiros.

Considerando que o segmento de médias empresas mineiras tem pouco acesso ao mercado de capitais e não é satisfatoriamente atendido pelos bancos de investimento, sediados em outras praças, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, a Codemig buscou dar suporte a um banco de Minas Gerais no desenvolvimento de operações estruturadas e de mercado de capitais. O Conselho de Administração da Empresa, amparado em recomendação técnica da Diretoria, decidiu subscrever parte do aumento de capital do único banco de investimentos mineiro, concluindo que a oportunidade atendia aos requisitos da Política de Seleção e Avaliação de Oportunidades de Investimento da Codemig.

Foram verificados itens como alinhamento estratégico, com a possibilidade de otimizar o montante de  investimentos da Codemig através do multiplicador bancário, apoiar o crescimento de médias empresas mineiras, por meio de operações estruturadas e de mercado de capitais, e oferecer serviços de assessoria técnica em operações estruturadas e de mercado de capitais para o Governo de Minas Gerais, suas empresas controladas e integrantes da administração pública indireta, bem como oferecer serviços de assessoria técnica em fusões e aquisições, emissão de dívida, project finance e corporate finance para médias empresas mineiras e estruturar operações de crédito para elas.

Quanto à atratividade do investimento, identificou-se que o potencial de mercado é elevado, tendo em vista que Minas Gerais não possui banco de investimento com presença local e dedicado às médias empresas, e que o preço de emissão das ações objeto da oferta pública foi definido com base no valor patrimonial das ações e com os recursos direcionados integralmente para o caixa do BMI. Também se constatou que o custo operacional será baixo, considerando que o BMI irá compartilhar os serviços de suporte administrativo (backoffice) com seu controlador, o Banco Mercantil do Brasil. Concluiu-se ainda que a sinergia com a Codemig e outras empresas controladas pelo Estado permitirá a sindicalização de operações, possibilitando a captura de reciprocidades de outras instituições financeiras para o conjunto da economia mineira.

Em relação ao risco do investimento, verificou-se baixo risco de execução, pois o BMI já existe, está listado na Bolsa de Valores e fará uso das equipes de suporte do tradicional Banco Mercantil do Brasil. Também se ponderou que há facilidade de desinvestimento através da alienação das ações em bolsa de valores e reduzido risco de mercado devido ao foco nas empresas localizadas em Minas Gerais.

Ao todo, a Codemig investiu, por meio da Codepar, cerca de R$146,9 milhões. Foram adquiridas aproximadamente 221 milhões de ações ordinárias, representando em torno de 47,66% do total das ações com direito de voto, e aproximadamente 224 milhões de ações preferenciais, sem direito a voto, mas com direito de receber 10% a mais de dividendos do que as ações ordinárias ou 7% sobre o valor nominal da ação, o que for maior. Os atuais acionistas do BMI também participaram do aumento do capital do banco, com a subscrição de novas ações ordinárias no montante aproximado de R$43 milhões. Após o aumento do capital, o BMI ficará com patrimônio líquido em torno de R$251 milhões. Essa operação está sujeita à aprovação dos órgãos reguladores competentes.

A Codemig

Empresa pública controlada pelo Estado, a Codemig investe em múltiplos segmentos, como mineração, pesquisa de óleo e gás natural, hotelaria, parques e balneários, distritos industriais e centros de feiras e exposições, os Expominas. Em consonância com as diretrizes inovadoras do Governo estadual, a Empresa pauta suas ações de maneira arrojada e moderna, pautada em três grandes eixos estratégicos: Indústria de Mineração, Energia e Infraestrutura; Indústria de Alta Tecnologia; e Indústria Criativa.

A Codemig também participa da estruturação de vários tipos de operações com empresas privadas, com destaque para empreendimentos com elevado potencial de alavancagem do crescimento econômico e social do Estado. Todas essas frentes evidenciam o compromisso da Codemig com o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais.

 

Investimento da Codemig/Codepar no Banco Mercantil de Investimentos (BMI): Perguntas e Respostas

Pergunta (P): O que é um Banco de Investimento?
Resposta (R): Os bancos de investimento são instituições financeiras privadas especializadas em operações de participação societária de caráter temporário, de financiamento da atividade produtiva para suprimento de capital fixo e de giro e de administração de recursos de terceiros. Devem ser constituídos sob a forma de sociedade anônima e adotar, obrigatoriamente, em sua denominação social, a expressão “Banco de Investimento”. Não possuem contas correntes e captam recursos via depósitos a prazo, repasses de recursos externos, internos e venda de cotas de fundos de investimento por eles administrados. As principais operações ativas são financiamento de capital de giro e capital fixo, subscrição ou aquisição de títulos e valores mobiliários, depósitos interfinanceiros e repasses de empréstimos externos (Resolução CMN 2.624, de 1999).

P: Por que a Codemig/Codepar investiu no Banco Mercantil de Investimentos (BMI)?
R: A Codemig, como agência para o desenvolvimento econômico mineiro, participa da estruturação de vários tipos de operações empresariais visando ao desenvolvimento do Estado; como ela não é instituição financeira, existe uma limitação técnica na sua atuação. Objetivando dotar a Codemig de um canal privilegiado no mercado financeiro privado, que aporte complementariedade para seus projetos e possibilite maior agilidade de implementação, a Codemig decidiu investir no aumento de capital do único banco de investimentos mineiro. O BMI é vocacionado para realizar operações de empresas mineiras de médio porte, exatamente as empresas geradoras do maior número de empregos no nosso Estado. 

P: Em que se baseou a decisão de investimento da Codemig/Codepar no BMI?
R: Destacando a oportunidade apresentada na oferta pública, que foi conduzida nos termos da ICVM 476, concluiu-se que esse investimento atende aos requisitos da Política de Seleção e Avaliação de Oportunidades de Investimento da Codemig. Identificou-se o seguinte:
1º Alinhamento Estratégico: i) possibilidade de otimizar o montante de  investimentos da Codemig através do multiplicador bancário; ii) apoiar o crescimento de médias empresas mineiras, através de operações estruturadas e de mercado de capitais; iii) oferecer serviços de assessoria técnica em operações estruturadas e de mercado de capitais para o Governo de Minas Gerais, suas empresas controladas e integrantes da administração pública indireta; iv) oferecer serviços de assessoria técnica em fusões e aquisições, emissão de dívida, project finance e corporate finance para médias empresas mineiras; v) estruturar operações de crédito para médias empresas mineiras.
2º Atratividade do Investimento: i) o potencial de mercado é elevado, tendo em vista que Minas Gerais não possui nenhum Banco de Investimento com presença local e dedicado às médias empresas; ii) o preço de emissão das ações objeto da oferta pública foi definido com base no valor patrimonial das ações e com os recursos direcionados integralmente para o caixa do BMI; iii) o custo operacional será baixo, considerando que o BMI irá compartilhar os serviços de suporte administrativo (backoffice) com seu controlador, o Banco Mercantil do Brasil; iv) a sinergia com a Codemig e outras empresas controladas pelo Estado permitirá a sindicalização de operações, possibilitando a captura de reciprocidades de outras instituições financeiras para o conjunto da economia mineira.
3º Risco do Investimento: i) baixo risco de execução, pois o BMI já existe, está listado na Bolsa de Valores e fará uso das equipes de suporte do tradicional Banco Mercantil do Brasil; ii) facilidade de desinvestimento através da alienação das ações na bolsa de valores; iii) reduzido risco de mercado devido ao foco nas empresas localizadas em Minas Gerais.

P: Qual foi o valor do investimento da Codemig no Banco Mercantil de Investimentos?
R: A Codemig investiu no aumento de capital do BMI, por meio da Codemig Participações S. A. (Codepar), cerca de R$ 146,9 milhões. Foram adquiridas aproximadamente 221 milhões de ações ordinárias, representando cerca de 47,66% do total de direitos de votos do BMI, e cerca de 224 milhões de ações preferenciais, sem direito a voto, mas com direito de receber 10% a mais de dividendos do que as ações ordinárias ou 7% sobre o valor nominal da ação, o que for maior. Vale ressaltar que os atuais acionistas do BMI também participam do aumento do capital do banco, com a subscrição de novas ações ordinárias no valor de aproximadamente R$ 43 milhões. Após o aumento do capital o BMI terá um patrimônio líquido de R$ 251 milhões.

P: O que é multiplicador bancário?
R: O multiplicador bancário, ou multiplicador de crédito, indica a capacidade do banco em alavancar o seu patrimônio, ou seja, quantas vezes ele pode captar e emprestar recursos, sobre o saldo do seu patrimônio líquido de referência. Com o aporte de aproximadamente R$146,9 milhões da Codemig, via Codepar, o BMI poderá adicionar até R$ 1,176 Bilhão em empréstimos para às empresas mineiras nas quais vier a investir.

P: Por que a Codemig escolheu o Banco Mercantil de Investimentos?
R: A Codemig não escolheu o Banco Mercantil de Investimentos, mas, sim, recebeu convite, direcionado a investidores qualificados, para participar da oferta pública de ações para aumento de capital do banco — operação coordenada pelo Banco Votorantim e regulada pela instrução nº 476 da CVM. A Codemig analisou os documentos da oferta e avaliou a proposta segundo seus critérios de seleção de oportunidades de investimento, recomendando a aprovação ao Conselho de Administração, que a acatou em reunião do dia 3 de março de 2016.

P: Por que o investimento foi feito por meio da Codepar?
R: Porque ela é a subsidiária integral da Codemig autorizada pela Lei Estadual 19.965 de 26/12/2011 a participar do capital de empresas privadas.

P: Onde será a sede do BMI? O banco terá agências?
R: O BMI é um banco de investimentos e, portanto, não possui agências bancárias como um banco comercial. O BMI já está sediado em Belo Horizonte, o que facilita o acesso das empresas mineiras aos seus diferentes serviços e produtos financeiros.

P: O BMI vai concorrer com o BDMG?
R: Não necessariamente, pois o BMI vai estar focado principalmente em operações estruturadas para empresas mineiras acessarem o mercado de capitais. O BMI vai complementar a atuação do BDMG. Por exemplo, nas PPPs, o BMI vai ajudar as empresas a emitirem debentures de infraestrutura para a aquisição pelo BDMG, ou por fundos geridos por ele. O BMI pode fazer o empréstimo ponte que depois poderá ser substituído por empréstimos do BNDES repassados pelo BDMG. Além disso, o BMI e BDMG são regulados pelo Banco Central de forma diferente.

P: Por que o investimento num Banco é positivo para a economia de Minas Gerais?
R: Porque o acesso a capital é fundamental para o crescimento da economia do Estado. As empresas e o próprio Governo precisam acessar recursos de terceiros para realizar seus investimentos. Quem possui esses recursos são, por exemplo, fundos de pensão e fundos de private equity que compram instrumentos de dívida lastreados nos projetos de investimento. Os bancos de investimentos são tomadores desses instrumentos e, quando trabalham como assessores financeiros, são responsáveis por sua estruturação. Minas Gerais não possui um Banco de Investimento ativo no estado. Os bancos de investimento localizados em São Paulo e no Rio de Janeiro se interessam por operações das grandes empresas e do próprio governo. As operações envolvendo menores volumes de recursos não atraem esses bancos de investimento, e, consequentemente, as médias empresas mineiras ficam dependentes de operações de bancos comerciais para se financiar, por exemplo o desconto de duplicatas. Além disso, os grandes bancos de investimento têm dificuldade de conhecer as centenas das médias empresas localizadas nas mais diferentes regiões de Minas Gerais. E porque não conhecem essas empresas, os grandes bancos de investimento não conseguem ter uma boa avaliação do risco de crédito. Na medida em que esses bancos encontrem um parceiro com bom conhecimento do mercado mineiro, sabendo avaliar corretamente o risco de crédito, abre-se a possibilidade de esses bancos participarem do financiamento de projetos de investimento em Minas Gerais.

sexta, 11 de março de 2016
Codemig divulga resultado do edital de patrocínio a projetos e eventos
Codemig divulga resultado do edital de patrocínio a projetos...
Codemig divulga resultado do edital de patrocínio a projetos e eventos
Iniciativas contempladas abrangem todos os territórios de desenvolvimento de Minas Gerais
sexta, 11 de março de 2016
Codemig apoia evento cultural voltado para a terceira idade
Codemig apoia evento cultural voltado para a terceira idade
Codemig apoia evento cultural voltado para a terceira idade
Promover o bem-estar, a autoestima, o convívio social e a qualidade de vida de cidadãos mineiros. Essa é a proposta do projeto “Venha, Vamos Dançar”, que tem o apoio do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). A iniciativa visa realizar bailes de dança de salão voltados prioritariamente para o público da terceira idade. Nesta sexta-feira, 11/03, a próxima edição do evento será realizada em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), beneficiando 90 pessoas da melhor idade atendidas pela instituição.
quarta, 09 de março de 2016
Evento gratuito aborda produção audiovisual e empreendedorismo
Evento gratuito aborda produção audiovisual e empreendedoris...
Evento gratuito aborda produção audiovisual e empreendedorismo

Evento promovido pelo Sebrae tem apoio da Codemig, que fomenta o segmento audiovisual por meio do Programa de Incentivo à Indústria Criativa

O setor audiovisual, o empreendedorismo e os filmes independentes serão discutidos no evento Produção Audiovisual e Distribuição, promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae Minas), com apoio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). O encontro será realizado no próximo dia 15/3, entre 9h e 17h, no auditório do Sebrae (Av. Barão Homem de Melo, 329, Nova Granada, Belo Horizonte), e contará com palestra da cineasta norte-americana Ramona Diaz. As inscrições podem ser feitas até 14/3. A entrada é gratuita, estando sujeita à lotação do espaço.

De 9h às 12h, o tema da conversa será “A realização audiovisual e o empreendedorismo”. O objetivo é evidenciar o produtor como empreendedor, pois o profissional aposta em produtos de valorização aleatória e rentabilidade incerta. A palestra também indicará as pistas para empreender num setor como o audiovisual.

Entre 14h e 17h, o assunto em foco será “Estratégia de divulgação e distribuição de filmes independentes”. O encontro abordará o complexo universo dos festivais de cinema, da distribuição e da promoção de obras audiovisuais independentes.

Regularmente convidada para participar como jurada de festivais de cinema internacionais, a cineasta independente Ramona Diaz é reconhecida por seu documentário "Don't stop believin': Everyman's Journey" (2012), sobre o filipino Arnel Pineda. É formada pela faculdade Emerson, de Boston, com mestrado em Comunicação pela Universidade de Stanford.

Outras informações sobre o evento podem ser obtidas no Sebrae Minas, pelos telefones (31) 3285-2622 e 0800-570-0800.

Codemig incentiva setor audiovisual

A Codemig e o Estado de Minas Gerais estão investindo, até o fim de 2018, mais de R$20 milhões em editais de fomento e fortalecimento de setores como audiovisual, gastronomia, moda e música, por meio do Minas de Todas as Artes — Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa. Uma das primeiras ações da iniciativa em 2015 foi o Edital de Seleção de Propostas de Desenvolvimento de Projetos Audiovisuais de Longa-Metragem para Cinema e Séries para Televisão. Firmado entre a Empresa e a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, o Edital recebeu 137 projetos e selecionou 18 propostas, somando investimentos de R$2.475.000,00.

Outra ação de fomento ao setor de audiovisual mineiro entrou em cena: o concurso para selecionar dois projetos de longa-metragem de ficção não publicitária para cinema, oriundos de produção mineira independente. A ação tem o apoio institucional da Secretaria de Estado de Cultura, além da parceria inédita com a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

Em 2016, a Codemig lançou uma nova frente que dinamizará o setor cinematográfico e ampliará o acesso dos mineiros à cultura audiovisual. Por meio do Programa Codemig de Apoio ao Cinema, serão implantadas novas salas de cinema no Estado.

Outra iniciativa é a realização, em Belo Horizonte, do Minas Audiovisual Expo 2016 (MAX), evento de comercialização da produção cinematográfica mineira para os mercados nacional e internacional, que promoverá mostras de projetos/pilotos e rodadas de negócios para grandes compradores da televisão brasileira. Todas essas iniciativas buscam fomentar negócios que gerem empregos e riquezas para o Estado.

terça, 01 de março de 2016
Comunicado sobre Edital de Patrocínio, 01/03/16
Comunicado sobre Edital de Patrocínio, 01/03/16
Comunicado sobre Edital de Patrocínio, 01/03/16

CHAMAMENTO PÚBLICO DE PATROCÍNIO A PROJETOS E EVENTOS Nº 01/2015 1º SEMESTRE DE 2016 – PROCESSO INTERNO 645/2015

A Codemig recebeu cerca de 330 propostas de patrocínio, oriundas de diversas regiões de Minas Gerais. O Comitê Interno de Patrocínio está triando, mapeando e julgando cada um dos projetos. A Empresa prorrogará o prazo para a divulgação dos resultados da seleção.

Os resultados serão publicados no site institucional no dia 9/3/16, quarta-feira.

quinta, 25 de fevereiro de 2016
Codemig e Certi projetam fábrica de ímãs de terras-raras em Minas Gerais
Codemig e Certi projetam fábrica de ímãs de terras-raras em...
Codemig e Certi projetam fábrica de ímãs de terras-raras em Minas Gerais

Novo empreendimento do Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, contribui para a inovação, a sustentabilidade e o desenvolvimento econômico do Estado

O Brasil ganhará seu primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras, que será implantado em Minas Gerais. O projeto inovador do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), será desenvolvido pela Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi), em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), contando com cerca de 20 especialistas técnicos. O empreendimento teve início oficial esta semana em Belo Horizonte, em reuniões nos dias 24 e 25 de fevereiro na Codemig. A ação pioneira representa um passo importante para a fabricação do ímã permanente de terras-raras no País, elemento indispensável à vida moderna.

Componentes-chave de aplicações intensivas em energia, como aerogeradores e motores elétricos para maquinas industriais, eletrodomésticos, elevadores e carros híbridos e elétricos, os ímãs de terras-raras constituem um dos grandes responsáveis pelo aumento da eficiência energética. “O desenvolvimento da tecnologia e a produção de ímãs de alta potência em Minas Gerais representam um grande avanço na agregação de valor às reservas de terras-raras existentes no estado e um passo decisivo para o fomento de toda cadeia produtiva de motores e geradores elétricos de alta eficiência”, ressalta o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco.

Com o objetivo de aproveitar o conhecimento que vem produzindo junto com a UFSC e o IPT, a Codemig contratou a Fundação Certi, por R$ 3 milhões, para elaborar o plano de negócio e o projeto executivo do laboratório-fábrica com capacidade anual de 100 toneladas de ímãs, que será erguido ao custo estimado de R$ 80 milhões, ao longo de 2017, em área que a empresa já possui na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além disso, serão também realizados, no âmbito do contrato, os estudos de viabilidade técnica, econômica, comercial e ambiental de uma unidade industrial de grande porte de ligas e ímãs permanentes de terras-raras a ser erguida em Minas Gerais, buscando resoluções para as questões de rentabilidade, de modo a alinhar as escolhas técnicas às demandas e aplicações de maior impacto para o mercado de ímãs de terras-raras no Brasil.

A parceria com a Fundação Certi inclui ações para apoiar a estruturação de um ambiente empresarial capaz de fomentar em Minas Gerais a competência tecnológica e produtiva das ligas e dos ímãs permanentes de terras-raras de diferentes características para as mais diversas aplicações. Isso inclui a atração e o desenvolvimento de fornecedores de equipamentos e insumos nos setores de mineração e metalurgia, bem como o suporte aos desenvolvedores de produtos e, principalmente, o estímulo a pesquisas realizadas em universidades e institutos de tecnologia, além da formação de mão-de-obra especializada.

De acordo com o superintendente de Negócios da Fundação Certi, Laércio Aniceto Silva, o empreendimento também irá dispor de ambientes propícios para geração de conhecimento técnico-científico em pesquisa e desenvolvimento (P&D), operação, produção e manufatura. “A intenção é realizar, ao mesmo tempo, operações de rotina fabril, produzindo ligas e ímãs diretamente para o mercado”, explica o profissional da Fundação Certi, instituição de ciência, tecnologia e inovação.

Segundo informações da Certi, a atual situação do mercado internacional desses ímãs forçou os fabricantes a instalarem suas fábricas em regiões com oferta abundante de matéria-prima, como a China, impondo um monopólio de 97% da produção mundial de óxidos de terras-raras e limitando a exportação por meio de cotas. Como consequência, o mercado nacional passou a ser atendido exclusivamente via importação, o que resulta em inconstância de preços e escassez de oferta em setores estratégicos e de alta relevância tecnológica.

Terras-raras

A cidade mineira de Araxá é reconhecida também pela produção de nióbio. É de lá que vem significativa parcela da receita da Codemig, fruto da parceria com a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), que extrai o minério, processa-o e, a partir dele, produz o nióbio. Do rejeito de sua produção, tornou-se possível, por meio de pesquisas, produzir as terras-raras, atualmente muito utilizadas nas tecnologias de ponta, para fazer funcionar tablets, lasers, turbinas usadas na produção de energia eólica, telefones celulares, mísseis e equipamentos eletroeletrônicos.

A vantagem das terras-raras produzidas em Araxá é que elas são praticamente um subproduto da exploração do nióbio. Isso barateia o custo industrial e pode tornar a Codemig mais competitiva em preços, em relação àqueles que só exploram terras-raras.

sexta, 19 de fevereiro de 2016
Sala Minas Gerais e Orquestra Filarmônica vencem Grande Prêmio Concerto
Sala Minas Gerais e Orquestra Filarmônica vencem Grande Prêm...
Sala Minas Gerais e Orquestra Filarmônica vencem Grande Prêmio Concerto

A grandiosidade da Sala Minas Gerais e a excelência da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foram o grande destaque do Prêmio Concerto 2015, considerada a principal distinção da área no Brasil. A lista de vencedores foi divulgada pela primeira edição de 2016 da revista Concerto. A publicação destaca que o investimento do Governo do Estado de Minas Gerais na criação e na manutenção da “magnífica Sala Minas Gerais” é um dos principais marcos da música clássica brasileira nos últimos anos. O espaço — construído com recursos da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) — e a Orquestra Filarmônica venceram na categoria Grande Prêmio Concerto 2015, tanto pelo júri especializado quanto pelo voto popular, mediante o “padrão de qualidade atingido, que ajudou a transformar Belo Horizonte em um dos polos da música clássica”, como cita o periódico.

O objetivo da premiação é valorizar e fomentar a atividade musical clássica, reconhecendo e divulgando eventos e protagonistas da cena clássica ou de grandes acontecimentos que marcaram a temporada. Em sua quarta edição, o Prêmio Concerto indicou 18 finalistas em seis categorias: Ópera, Música Orquestra, Música de Câmara/Recital/Coral, Jovem Talento, CD/DVD/Livro e o Grande Prêmio, conquistado pela Orquestra Filarmônica e pela Sala Minas Gerais. Os leitores do site www.concerto.com.br e da revista Concerto também puderam votar nos indicados de cada categoria, conferindo o Prêmio Concerto – Voto do Público.

Em matéria especial, a revista Concerto salienta que a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais conquistou um lugar de destaque na cena musical brasileira, tornando-se referência, com um projeto artístico consistente. “Sob direção artística e regência do maestro Fabio Mechetti, de volta ao Brasil após anos nos estados Unidos, o grupo atraiu para Belo Horizonte um ótimo time de solistas e maestros convidados, interpretando um repertório diversificado e realizando projetos importantes, que já se instalaram de modo definitivo no calendário, como o concurso destinado a jovens compositores e o laboratório de regência”, narra a publicação.

O periódico ressalta que, em 2015, com a inauguração da Sala Minas Gerais, o trabalho da Filarmônica deu um salto em quantidade e qualidade: o número de concertos mais que dobrou, de 24 para 57 apresentações, e houve aumento de 57% no número de assinantes. Para 2016, a revista pontua que novas séries serão mantidas e que o grupo dedicará atenção especial à obra de Mozart, por exemplo.

Sala Minas Gerais

Em fevereiro de 2015, o Governo estadual abriu as portas da Sala Minas Gerais, do Centro de Cultura Presidente Itamar Franco, em Belo Horizonte, com o concerto que inaugurou a temporada 2015 da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. A obra, integralmente custeada pela Codemig, contribui para inserir o Estado no roteiro internacional dos grandes concertos de música erudita.

A Sala de Concertos foi o primeiro espaço do Centro de Cultura aberto ao público, sendo projetada com alta tecnologia e capacidade para 1,4 mil espectadores. O ambiente permite que orquestras reconhecidas mundialmente possam se apresentar em Belo Horizonte, proporcionando oportunidade para intercâmbios musicais e experiências sonoras inéditas. A acústica da Sala é comparável ao nível das melhores salas do mundo. Além de ter estrutura para receber grandes orquestras, o espaço amplia a capacidade de atuação das orquestras do estado, bem como seus programas educativos e sociais que visam à formação de público.

Resultado de esforço travado por profissionais de notória competência, do Brasil e do exterior, a Sala Minas Gerais se equipara aos mais consagrados espaços do mundo que se dedicam à fruição e ao aprendizado da música erudita. O arquiteto José Nepomuceno, responsável pelo projeto do interior da Sala, reuniu uma equipe que se debruçou sobre um modelo físico em escala, modelos computacionais e investigações de salas de referência ao redor do mundo. Essa busca viabilizou a definição da performance sonora idealizada, que, por sua vez, possibilitou a execução do formato arquitetônico para o apuro do som orquestral.

O espaço é dotado de áreas de público e técnicas e salas de ensaios individuais e coletivas, além de infraestrutura para gravações de áudio e vídeo, iluminação cênica, pontos de apoio para equipes de televisão, segurança e demais instalações dotadas de acessibilidade aos portadores de necessidades especiais. Foram previstos três pavimentos de garagens, resultando em um estacionamento com cerca de 500 vagas, para atender o público em noites de concertos, importante diferencial em relação às casas de espetáculos existentes na cidade.

O Centro de Cultura, além da Sala Minas Gerais, abrigará as sedes da Rede Minas de Televisão e da Rádio Inconfidência, emissoras públicas do Estado. Trata-se de um marco histórico para a trajetória das duas emissoras, que nunca tiveram sede própria. Ocupando uma área de 41.258,03 m², o Centro de Cultura está localizado na Rua Tenente Brito Melo, 1.090, Barro Preto. O projeto inclui, ainda, um casarão restaurado com serviços de alimentação e uma grande praça pública, que harmoniza o prédio com o seu entorno. A obra, que teve início em 2013, tem a previsão de iniciar suas atividades em 2016. Outras informações podem ser obtidas no site www.filarmonica.art.br.

terça, 16 de fevereiro de 2016
Oficina Construindo Projetos Audiovisuais tem inscrições abertas até 27/02
Oficina Construindo Projetos Audiovisuais tem inscrições abe...
Oficina Construindo Projetos Audiovisuais tem inscrições abertas até 27/02

Como parte das ações do Minas de Todas as Artes — Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa, a Codemig é parceira da Casa da Economia Criativa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG) na realização da oficina Construindo Projetos Audiovisuais. O evento é voltado para roteiristas e produtores audiovisuais. As inscrições estão abertas até o próximo dia 27 de fevereiro. O curso começará no dia 8 de março.

A oficina objetiva capacitar os participantes para competir em igualdade de condições nos mercados nacional e internacional de conteúdos e entretenimento. Outras informações podem ser obtidas na Casa da Economia Criativa do Sebrae-MG — Rua Santa Rita Durão, 1.275, Praça da Liberdade, Funcionários, Belo Horizonte, telefone (31) 3285-2622.

Idealizado pelo Sebrae-MG, em parceria com o Governo do Estado de Minas Gerais, o Horizonte Sebrae — Casa da Economia Criativa tem como objetivo ser um referencial de excelência na formação e na disseminação de informações sobre as relações entre criatividade, cultura, inovação, tecnologia e mercado, além de se estabelecer como uma plataforma de cooperação entre empreendedores do setor criativo.